13 dezembro, 2017
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
22:00-04:00

A candidatura “Vila Viçosa: Vila Ducal Renascentista”, integra a Lista Indicativa de Portugal a Património Mundial desde 2016, encontrando-se a decorrer o processo de elaboração do dossier da candidatura a Património Mundial, para apresentação à UNESCO.

Em declarações à RC, Manuel Condenado, Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, afirma ser “objetivo” do município e de todas as partes envolvidas, “que, até setembro do próximo ano, apresentemos o dossier da candidatura”

O autarca descreve o processo de candidatura a Património Mundial da Unesco como um “chapéu de sol que abarca todas as iniciativas culturais”. Desta forma, aponta existir uma dificuldade acrescida no processo, comparativamente a classificações como património imaterial, “situações muito simplificadas”.

Neste momento, “estamos a trabalhar no dossier e a preparar o orçamento e o plano de atividades para o próximo ano”. Este “será o instrumento que nos vai permitir avançar também em termos financeiros para a fase derradeira da elaboração desse dossier”, uma vez que para além ser um processo “rigoroso e de muito trabalho”, a elaboração do dossier da candidatura é “bastante dispendioso”.

Joaquim Saial, calipolense e investigador de arte pública, afirma que “quando chegar a hora da decisão tudo conta”.

Desta forma, torna-se importante não descurar aspetos culturais da história local. “Uma pequena coisa pode estragar tudo, e uma pequena coisa pode contribuir para o galardão que nós pretendemos”.

Outras cidades nas proximidades já obtiveram classificações da UNESCO, nomeadamente Elvas e Estremoz, faltando “Vila Viçosa que merecia”, declara.

Considerando como “muito bom” a entrada para a Lista Indicativa, afirma que “nos últimos tempos se avançou muito mais que nos tempos passados”.

Contudo, enquanto não obtém a classificação como Património Mundial e mesmo que o facto não se verifique, “Vila Viçosa nunca deixa de ser uma grande terra”, sendo que “só o facto de ter tentado […] já é vantajoso”, pela divulgação e interesse despertado. “O nome Vila Viçosa e propagado através da comunicação social, as pessoas ouvem e vêm”, dinamizando o turismo do município.

O eurodeputado Carlos Zorrinho no seu comentário desta terça-feira, dia 12 de Dezembro, começou por comentar o caso recentemente divulgado da instituição Raríssimas, em que a presidente é apontada por utilizar dinheiro em prol de uma vida de luxo, relembrando que “desde 2015 houve 1500 investigações a IPSS”, reforçando que a importância de serem realizadas “com grande detalhe”.

Destacando o trabalho das IPSS em Portugal, Carlos Zorrinho realça que em situações como estas “não podemos tomar a nuvem por juno”, expressando preocupação em que “as pessoas comecem a desconfiar em geral destas entidades que a grande maioria faz um trabalho rigoroso”.

Sobre a ligação do secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, à instituição em 2013, o eurodeputado socialista declara que “qualquer pessoa pode prestar o serviço a uma instituição sem saber que a presidente está a usar recursos de forma incorreta”, referindo que, na sua opinião, “não há qualquer correlação politica”.

Questionado sobre a divulgação e, consequentemente, uma investigação tardia dos acontecimentos, o Comentador da RC apela a que “as investigações sejam mais assertivas”, e refere que, muitas vezes, situações como estas “surgem quando as pessoas dentro das instituições se zangam e depois faz uma denuncia”.

Nas manchetes dos jornais surge a notícia de que o Brexit pode colocar em risco o lugar dos eurodeputados portugueses, sobre qual, Carlos Zorrinho refere que, na sua opinião, “não parece provável”.

De acordo com a sua análise, “o mais provável é que o número de eurodeputados portugueses se mantenha em 2019 e também em 2024”, atualmente com a representação de 21 eurodeputados o Parlamente Europeu.

Sobre o Brexit, Carlos Zorrinho referre que o Parlamento Europeu “vota esta semana uma resolução”, admitindo que “pode sempre haver uma reversão”, no entanto, “havendo um mandato democrático compete aos ingleses, eventualmente, decidirem não avançar”.

Segundo Carlos Zorrinho, a solução pretendida pela Europa “não define apenas as condições para que haja uma saída, o que a União Europeia tem que pagar como compensação como as garantias que tem que dar aos cidadãos do Reino Unido e das fronteiras”, trançando também “algumas linhas para um futuro acordo de cooperação, que não sendo uma apetência plena, seja positiva”.

Vila Viçosa vai acolher no próximo dia 28 de Janeiro, no Museu do Mármore, uma reunião de escultores internacionais, um encontro realizado com intenção de dar as boas-vindas ao ano de 2018, adiantou o vice-presidente do município.

De acordo com as palavras de Luís Nascimento, vice-presidente do município calipolense, Vila Viçosa foi a localidade escolhida por um grupo de escultores internacionais para “uma reunião a nível Europeu”.

Segundo o responsável, a reunião decorre no âmbito da iniciativa “Start 2018”, e reúne “através da internet” escultores internacionais de países como Alemanha, Dinamarca, França entre outras nacionalidades como “uma forma de dar as boas-vindas a 2018”.

Luís Nascimento adianta ainda que o programa está agendado para o dia 28 de Janeiro no Museu do Mármore, e terá “uma visita pelos monumentos” da vila calipolense.

Rosa Zorrinho, que exerceu funções de administradora no Hospital de Évora e foi presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, é o nome que surge na tarde de terça-feira, 12 de Dezembro, para substituir o demissionário secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, noticiado na mesma tarde.

De acordo com uma nota enviada às redações, o Governo faz saber que a exoneração do cargo exercida por Manuel Delgado, na sequência do caso de suspeitas de irregularidades na Raríssimas, foi aceite pelo gabinete do primeiro-ministro António Costa, e faz saber ainda que Rosa Zorrinho vai assumir o cargo de secretária de Estado da Saúde.

Com um longo percurso na saúde, parte dele exercido no Alentejo, presidiu ao conselho diretivo da Administração Regional de Saúde do Alentejo, entre 2005 e 2011, onde já tinha sido vogal entre 1996 e 2002.

Antes disso, entre 1990 e 1996, foi administradora no Hospital do Espírito Santo, em Évora, responsável pela gestão dos recursos humanos, instituição à qual retornou de 2002 a 2005 na qualidade também de administradora com o pelouro dos meios complementares de diagnóstico e terapêutica e serviços hoteleiros.

Rosa Zorrinho, esposa do comentador semanal da Rádio Campanário, Carlos Zorrinho, é Licenciada em sociologia pela Universidade de Évora e pós-graduada em administração hospitalar, havia assumido a presidência da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo no início de 2016.

A tomada de posse da nova secretária de Estado da Saúde está marcada para as 19h30 desta terça-feira, no Palácio de Belém. 

O Centro Escolar de Sousel promoveu esta terça-feira, dia 12 de dezembro, a iniciativa «Sopa da Solidariedade», envolvendo alunos, pais e toda a comunidade escolar.

O estreitamento e reforço de relações, aliado ao cariz de solidariedade, é o objetivo da iniciativa que vai na sua segunda edição, explica à RC, José Mariano Galveias, Diretor do Agrupamento de Escolas de Sousel.

A «Sopa da Solidariedade» consiste num concurso, em que cada turma apresenta uma sopa, confecionada pelos “encarregados de educação, com a ajuda dos alunos, dos diretores de turma e dos professores”.

No final da prova das sopas, ocorre uma votação nas três favoritas por ordem de preferência, sendo assim determinada a sopa vencedora.

A respetiva turma “entregará o prémio numa instituição de cariz social do concelho de Sousel”, podendo este “ser monetário ou em género”, adquirido com as doações apuradas pela sopa vencedora.

Para além de apoiar uma instituição social do concelho, a iniciativa tem o objetivo de “trazer à escola os encarregados de educação dos alunos”.

O diretor afirma que a «Sopa da Solidariedade» visa ser um evento anual e “uma marca de sucesso naquilo que é o Agrupamento de Escolas de Sousel”, sendo que para além do Centro Escolar de Sousel, também decorreu nas escolas de Santo Amaro e Cano.

 

 

 

View the embedded image gallery online at:
http://radiocampanario.com/detalhes/itemlist#sigProId16c52be633

O Laboratório Hercules da Universidade de Évora está a desenvolver uma nova ferramenta inovadora que permite a identificação de microrganismos invasores que deterioram o património cultural.

De acordo com a informação divulgada pela Universidade de Évora (UÉ), com recurso a esta ferramenta considerada “inovadora”, vai ser possível “em apenas duas horas e meia e sem necessidade de intervenção de especialistas (…) identificar vários tipos de microrganismos em superfícies do património edificado e obras de arte”.

O protótipo da ferramenta já está elaborado, mas ainda está “na última fase de desenvolvimento”, para que “possa ser patenteado” ou para que seja “protegida a propriedade intelectual”, explicou a investigadora Marina González.

A investigadora esclarece ainda que o equipamento funciona através de fluorescência, com uma tecnologia denominada FISH (Hibridação Fluorescente In Situ), com algumas “inovações” que permitem aplicar o processo no património cultural “de forma rápida, simples e económica”.

Segundo Marina González, após o registo da propriedade intelectual, o passo seguinte será contactar empresas na área da conservação e restauro, que “possam estar interessadas na comercialização” deste instrumento e em “continuarem com este projeto”.

 

 

O calipolense Luís Azeitona sagrou-se no início do mês de Dezembro, nos dias 2 e 3, campeão nacional de Ensino no Grau Elementar da Taça de Portugal de Ensino, que decorreu nas instalações do Centro Equestre Internacional de Alfeizerão.

Em declarações à RC, Luís Azeitona refere que a competição é composta por 5 jornadas realizadas ao longo do ano, em que o calipolense ficou sempre em primeiro lugar, atingindo “os mínimos” para se qualificar para a final, que acabou por vencer.  

O calipolense disputou a final com o cavalo Hipparion tendo terminado a prova com a pontuação de 497,461, superando a pontuação de Alexandra Gouveia, segunda classificada com o cavalo Herdeiro (460,561 pts).

Hipparion, o cavalo vencedor, tem 5 anos de idade (daí competir no Grau Elementar) e é caraterizado pelo cavaleiro como “muito direcionado para a modalidade”, referindo que “tem muita capacidade atlética e uma boa qualidade de andamentos”, o pretendido na modalidade.

O calipolense competiu também na categoria Complementar com Fazenda, competição em que saiu medalhado com Prata (474,177 pts), superado apenas por Vasco Mira Godinho com Furriel dos Cedros (484,436 pts).

“Foi muito renhido”, declarou Luís Azeitona quando questionado sobre esta prova, acrescentando que “na final ocorreram alguns problemas técnicos durante a execução das provas”.

Com um meritório segundo lugar, Luís Azeitona analisa Fazenda, “uma égua da coudelaria de Vila Viçosa” ensinada pelo próprio e atualmente com 7 anos, como “uma égua muito boa e tem boa qualidade nos andamentos”, destacando-se “no galope”.

Em análise à sua prestação na globalidade da prova, Luís Azeitona declara que “foi bastante positiva”, referindo que conseguiu “manter uma boa evolução durante a época” excetuando o segundo lugar na categoria Complementar.
 

Um homem de 60 anos ficou em prisão preventiva, medida de coação mais gravosa decretada pelo Ministério Publico, depois de no passado sábado ter esfaqueado outro homem de 46 anos na cidade de Moura, no distrito de Beja.

O alegado agressor fica assim a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Beja.

Os factos ocorreram no passado sábado, 9 de dezembro, pelas 22 horas, quando os dois indivíduos iniciaram uma violenta discussão dentro do Núcleo do Sporting de Moura. Entretanto, já no exterior, o agressor de 60 anos desferiu duas facadas no peito do outro homem, de 46.

5 crimes e 35 contraordenações, foram algumas das ocorrências registadas pela GNR, no distrito de Évora, esta segunda-feira, dia 11 de dezembro.

Segundo o Comando Territorial da GNR de Évora, foram registados 5 acidentes de viação, tendo resultado 1 ferido leve, sendo 2 colisões na localidade de Reguengos de Monsaraz e Vendas Novas; e 3 despistes nas localidades de Estremoz, Redondo e Montemor-o-Novo.

No âmbito da criminalidade, foram registadas 5 ocorrências criminais, sendo que na localidade de Arraiolos se registou 1 crime de furto em estaleiro e 1 crime de abuso de confiança; na localidade de Vendas Novas, 1 crime de burla; e 2 crimes de condução sem habilitação legal nas localidades de Évora e Lavre.

No que concerne a detenções por crimes cometidos em flagrante delito, registou-se 1, em Lavre, pelo crime de condução sem habilitação legal.

No âmbito contraordenacional, registaram-se 26 infrações relativas à legislação de trânsito, 3 relativas à legislação ambiental, e 6 relativas à legislação policial geral.

 

Decorreu no passado domingo, dia 10 de dezembro, em Arraiolos, o tradicional Concerto de Natal, este ano “Natalis Ensemble” com Helena Lourenço, Cláudia Anjos, Andreia Fernandes e João Nunes.

À RC, presente no concerto, Delfina Lima, vereadora da Câmara Municipal de Arraiolos, falou deste e de outros eventos programados pelo município para assinalar a quadra natalícia.

Para além do concerto de Natal, o município promove atividades como “comboio de natal, decoração espalhada pela vila, animação infantil”, que são muito participadas pelos munícipes.

 

 

View the embedded image gallery online at:
http://radiocampanario.com/detalhes/itemlist#sigProIdc50bba8017

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2017 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31