“Défice produtivo” é o principal défice do país, diz João Oliveira no seu comentário semanal (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 24 maio, 2017

O deputado João Oliveira, eleito pelo círculo de Évora da CDU à Assembleia da República, no seu comentário desta quarta-feira, dia 24 de Maio, começou por falar sobre as notícias que indicam que o PCP pressiona o Governo para apoiar a produção nacional, dizendo que o essencial é “pôr o país a produzir”.

Segundo o Comentador da Rádio Campanário “só produzindo nós conseguimos crescer” e “sustentar esse crescimento”, apontando que, ao longo dos anos, o principal défice do país “é o défice produtivo”.

“Agricultura, as pescas, a indústria” são setores “temos na nossa mão a capacidade para decidir e para fazer o país andar para a frente”, diz o deputado e acrescenta que se “assentarmos o crescimento económico nos recursos que temos no país (…) estamos mais defendidos que crises que venham do exterior”.

João Oliveira diz que “o Turismo tem que ter um papel complementar”, mas a grande questão é “não fazermos depender o crescimento económico do Turismo ou de outros setores que estão mais dependentes de variáveis externas”.

O Deputado diz ainda que as condições da economia nacional, visando os setores exportadores, “implicam que para exportarmos 100€ tenhamos que importar 80 de matéria prima”. Acrescenta ainda que a estrutura económica “ainda muito dependente de importações” é um dos problemas da economia portuguesa.

Em abordagem á economia nacional, tendo em conta o panorama europeu no qual Portugal se viu forçado a vender empresas que dominam setores estratégicos, João Oliveira diz que “os países poderosos tomaram medidas para que essas regras da União não se lhes aplicassem”, atirando de seguida que “parece que só nós é que somos mais parvos que os outros e deixamos destruir o nosso pais em nome da União”.

“Precisamos de defende o nosso pais” diz o Comentador da RC e em muitas circunstancias “termos a coragem de enfrentar os países mais poderosos que nos impõem essas regras” e diz ainda que “se calhar vamos chegar á conclusão que os argumentos das politicas europeias só servem quando são em nosso prejuízo e em beneficio dos países mais poderosos”.

 A terminar, João Oliveira falou sobre as notícias que indicam que mais de metade dos professores que reuniam os requisitos necessários ficaram de forma, dizendo que temos um problema com professores que “dando aulas á 10,15 e 20 anos não conseguem ter um vínculo ao Ministério da Educação”.

“é um problema da qualidade da escola pública e um problema da qualidade do nosso ensino”, menciona O Comentador João Oliveira, indicando que “não há razão nenhuma para, todos os anos, seja contratado um professor diferente”.

João Oliveira diz ainda que “se as escolas abrem as vagas é porque os professores necessários”, dizendo que “se esse professor faz falta, faz sentido que ele esteja vinculado”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Novembro 2017 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30