João Oliveira diz que relatório da EU “tem muitas das consequências das politicas da Troika e da politica aplicada pelo anterior Governo", no seu comentário semanal (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 01 março, 2017

O deputado João Oliveira, eleito pelo círculo de Évora da CDU à Assembleia da República, no seu comentário desta quarta-feira, dia 1 de Março, começou por falar sobre o estudo da União Europeia que coloca Portugal, em termos de qualidade de vida, no 18º lugar, o deputado diz que o estudo “tem muitas das consequências das politicas da Troika e da politica aplicada pelo anterior Governo", "naturalmente é um espelho das consequências, profundamente negativas, de tudo o que foi feito durante esses 4 anos" e acrescentou, "esperemos que este caminho de reposição de direitos e de rendimentos se possa aprofundar, para que daqui a algum tempo possamos ter avaliações que apontem num sentido diferente".

Em torno das palavras do Presidente da República, após a promulgação do documento que visa a contratação de 3.200 professores precariamente, João Oliveira referiu que "foram alargando as turmas, porque assim se tornava menos necessário contratar professores", exemplificou com o caso da Finlândia que tem melhores cotações no índice de desenvolvimento humano das Nações Unidas do ponto de vista educativo, "que foi reduzindo o número de alunos por turma" disse o deputado e afirmou, "as medidas que melhoram o sistema português e melhoram a qualidade da educação, implicam a contratação de mais professores".

Sobre o vínculo dos professores ao Estado, João Oliveira levantou a questão se os professores "devem passar a sua carreira contratados precariamente e a andarem permanentemente com a casa às costas, ou se pelo contrário, temos vantagens em ter os professores fixados às escolas", referiu também que "durante muitos anos tivemos no nosso pais um sistema de contratação e de vinculação de professores que envolvia a vinculação ao quadro da escola" e atirou "isto já aconteceu, e em vez de ser melhorado e aperfeiçoado, foi pura e simplesmente esquecido e eliminado".

Acerca do número de lugares que virão a ser disponibilizados disse "se olharmos para as dezenas de milhares de professores que todos os anos são contratados nos concursos que são feitos, percebemos que quer os quadros de escola, quer os quadros de zona pedagógica não têm todos os professores que necessitam" e indicou a posição do seu partido, " julgamos que é preferível as escolas terem no seu quadro o número de professores que necessitam ".

No final do seu comentário semanal, o deputado João Oliveira falou do tão badalado caso dos “Offshores” e referiu que "esta confissão que o ex-secretário de estado veio fazer, confirma a responsabilidade do PSD e do CDS", acrescentou que "tiveram uma politica de dois pesos e duas medidas" e afirmou que "da parte do PCP não toleraremos seja quem for o protagonista".

Veja também...

Histórico de Notícias

« Agosto 2017 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31