Maria Helena Figueiredo gostaria de “ver coragem da CGD em fazer cobranças dos milhares de milhões emprestados”, diz sobre aumento dos preçários no seu comentário semanal (c/som)

Publicado em Revista de Imprensa 19 maio, 2017

A Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda (BE), Maria Helena Figueiredo, no seu comentário desta sexta-feira, 19 de Maio começou por falar em torno das notícias que referem a demora de algumas medidas do Estado referente ao orçamento de 2017, segundo o BE e o PCP, dizendo que “o Governo tem que fazer um esforço para cumprir de uma forma mais célere os acordos que fazemos”.

“Percebemos que algumas medidas o Governo tentará retarda-las”, diz a Comentadora da Rádio Campanário relembrando que “foi o acordo que fizemos”.

Neste acordo de recuperação de rendimentos “é verdade que não temos data marcada para a sua execução”, por isso “não podemos dizer que há um incumprimento”. Ainda assim “é bom e é importante que as medidas que foram negociadas sejam aplicadas”.

Segundo a Bloquista, “gostaríamos de ver mais acelerada o dossier das pensões” e “a integração dos precários da Administração Pública”, mencionando que gostariam de ver alargada a todos os precários.

Maria Helena Figueiredo diz ainda que “já começou a haver negociações bilaterais” sobre o orçamento de 2018, mencionando que os pilares em que estão assentes estas negociações “serão sempre as recuperações dos rendimentos”, adiantando “os escalões do IRS, sobretudo os escalões mais baixos”.

Sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD), em que está previsto entrada em vigor de novos preçários em serviços prestados, em disse que a Caixa “enquanto banco do Estado tem que moderar”.

Embora tenha um plano de restruturação financeira, “gostaríamos muito de ver coragem da CGD em ir fazer as cobranças dos milhares de milhões que foram emprestados e que constituem crédito malparado”, acrescentando que “ai sim é que a Caixa tem que reforçar a sua estabilidade financeira”.

“Qualquer dia começam as pessoas a meter o dinheiro debaixo do colchão”, disse a Comentadora da RC após ter mencionado que “naturalmente” o seu Partido não é a favor deste aumento.

Maria Helena Figueiredo diz ainda que a Caixa “não deve penalizar sempre os mais fracos”, mas sim fazer “uma cobrança dos dinheiros que emprestou em condições, que muitas vezes nós sabemos, sem garantias”.

A terminar o seu comentário, a Coordenadora Bloquista comentou o parecer negativo atribuído á proposta do CDS-PP em permitir o acesso das secretas a dados dos telemóveis, dizendo que “estamos aqui perante a realização de direitos”.

“Temos o direito a ter os seus dados protegidos”, refere Maria Helena Figueiredo, e acrescenta “se por um lado nós achamos que é preciso controlar e é preciso que as policias tenham meios, por outro lado, eu pessoalmente defendo que o acesso a alguma informação não pode ser deixado na mão de polícias”.

Nesta ponderação, “defendo sempre a intervenção de magistrados”, mencionando que “temos que ter a garantia através dos tribunais de que os nossos dados e a nossa vida privada, é vista mas sempre através dos tribunais”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Setembro 2017 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30