×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Já são conhecidos os vencedores absolutos da Ultra Maratona Atlântica Melides- Tróia, a prova com uma extensão de 43 km. O vencedor da 16.ª edição no setor masculino é André Filipe Costa com o tempo de 2h47m54s a correr individualmente. No setor feminino é Patrícia Serafim do Beja Atlético Clube que vence a prova, com o tempo de 3h18m16s tendo alcançado um novo record da prova no setor feminino, conforme divulgado nas redes sociais do município.

O vencedor da 7ª Corrida Atlântica Comporta – Tróia é Bruno Paixão, do Beja Atlético Clube, que fez em 47m47s o total de 15km. O atleta foi o vencedor na última edição da Corrida Atlântica, em 2019.

No setor feminino, o 1º lugar é de Kcenia Bougnova, a correr individualmente, com o tempo de 59m.

A Ultra Maratona arrancou às 09h00 na Praia de Melides, com passagem dos atletas pela Aberta Nova, Galé, Pinheiro da Cruz, Pego, Carvalhal, Comporta, Soltróia, e meta na Praia Bico das Lulas, em Tróia.

Foto: CM Grândola

Segundo o último Boletim Epidemiológico da DGS, tornado público no dia de hoje, dia 25 de julho, foram confirmados 118 novos casos de COVID-19 , sem registo de óbitos no Alentejo nas últimas 24 horas.

A região alentejo regista um total de 33.143 casos e 980 mortes.

Portugal contabilizou, nas últimas 24 horas, 8 óbitos e 2.625 novos casos de Covid-19. Os dados constam no mais recente boletim epidemiológico, revelado este domingo, dia 25 de julho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS). 

Portugal já registou 17.292  mortes desde o início da pandemia e 953.059 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 54.197  casos, mais1.415 em relação ao dia anterior.

O boletim da DGS revela que estão internados 879 doentes, mais 44 do que ontem. Nos cuidados intensivos estão 193 doentes, mais doze do que ontem.

Os dados indicam ainda que mais 1.202 doentes foram dados como recuperados, fazendo subir para 881.570 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 80.147 contactos, menos 2.777 relativamente ao dia anterior.

O Coliseu de Redondo recebeu, ontem à noite, o concerto da dupla os "Anjos", composta pelos irmãos Nélson e Sérgio, que esgotou a lotação do Coliseu, em que a Rádio Campanário esteve presente.

Em entrevista à jornalista da RC, Nelson referiu-nos que “vir ao redondo foi a cereja no topo do bolo”, confessando que “é a primeira vez que tocamos aqui”. Já Sérgio frisou “é a primeira vez que temos o privilégio de cantar aqui nesta terra, a terra do vinho.”

No que diz respeito ao espetáculo, Sérgio destaca que foi “bem organizado, a provar que a cultura pode acontecer dentro daquilo que são as regras da Direção Geral da Saúde”, acrescentando que "a cultura é a base de tudo aquilo que nós vamos fazer a seguir.”

Sérgio destaca ainda que “vamos para o palco e abrimos o coração. As mensagens quando o Nelson fala, as mensagens quando nós estamos a cantar, as letras, toda essa envolvência, o público precisa desses momentos e nota-se nitidamente, que nós sentimos, que os portugueses precisam destes momentos, dos concertos, da cultura. O que era da nossa pandemia sem cultura? As pessoas refugiam-se muito nos momentos de lazer.”

No que diz respeito ao concerto, Nelson refere “Hoje foi mais uma noite mágica, com uma retrospetiva pelas músicas que são emblemáticas por parte dos Anjos e das músicas novas também”.

Tendo em conta o número de pessoas que não consegui assistir ao espetaculo, Nelson deixa ainda uma promessa “os redondenses que não puderam hoje assistir a este espetáculo, como sabem, havia lotação limitada de 500 pessoas, mas nós prometemos que vamos regressar! Não é ao redondo, mas nós vamos andar aqui perto.” Já Sérgio deixa umas palavras a quem teve que regressar para casa: "para as pessoas quer da região, quer as que vieram de fora, de Lisboa,  que conduziram até aqui e não conseguiram levantar bilhete e tiveram que voltar para trás novamente, infelizmente não deveria ser assim, mas isto mostra realmente o carinho que as pessoas tem pelas bandas."

Devido às circunstancias da pandemia confessa ainda que “ Nós normalmente não costumamos fazer isto, o nosso agente António Gomes, costuma ter muito cuidado com isso porque nós não gostamos de “queimar” zonas. Mas num contexto destes,  quando nós temos uma equipa parada à dois anos, os 60 e tal concertos que nós tínhamos para fazer o ano passado grande parte deles caíram e outros foram remarcados para este ano, este ano voltou a cair uma percentagem e já estão a ser remarcados para o próximo ano, é uma loucura!”

Para projetos futuros que conseguiram criar durante a pandemia, os Anjos revelaram que "Ainda temos muitos projetos para realizar até ao final do ano, que é fantástico. O palco é sempre importante porque os concertos são sempre a ligação que falta aos artistas, é resumo de todo o trabalho que eles tem, aliás nós existimos para o público que recebe esta mensagem que é o nosso trabalho. Obviamente deu espaço para podermos de alguma forma estruturar um pouco as sub-marcas que tínhamos."

Relativamente à atuação ser no Alentejo, Nelson refere “o Alentejo, pelas razões que o auditório já conhece, não é só por a nossa mãe ser alentejana e nós termos família no Alentejo, é pela nossa ligação e paixão que temos por esta terra maravilhosa."

Os cavaleiros portugueses João Miguel Torrão e Rodrigo Torres enalteceram este domingo a qualificação para a final de Ensino em desporto equestre dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, 69 anos após a última presença.

Na prova individual, Rodrigo Torres, o cavaleiro de Monforte, de 44 anos, conseguiu ser um dos seis repescados para a final, depois de no sábado ter conseguido uma pontuação de 72,624, garantindo igualar, pelo menos, o 16.º lugar de Gonçalo Conchinhas Carvalho em Londres2012, na última participação portuguesa nesta disciplina.

O cavaleiro destacou que ""agora vamos desfrutar, fazer o melhor possível e tentar colocar Portugal no melhor lugar que conseguirmos".

"Chegar à final por equipas era uma das nossas metas. Conseguimos, é um grande feito, uma grande alegria e uma grande honra. Estamos de parabéns, eu, o João e a Maria, porque correu bem e estivemos a um bom nível", finalizou Rodrigo Torres.

Os cavaleiros portugueses João Miguel Torrão e Rodrigo Torres enalteceram este domingo a qualificação para a final de Ensino em desporto equestre dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, 69 anos após a última presença.

Após o exercício de João Miguel Torrão, que montou Equador, a seleção portuguesa de ensino em desporto equestre assegurou a qualificação para o Grande Prémio Especial por equipas, que está marcada para terça-feira, a partir das 17:00 locais (09:00 em Lisboa), um dia antes da final individual, que vai começar às 17:30 (09:30).


Portugal, com João Miguel Torrão, Rodrigo Torres e Maria Caetano, somou 6.862,5 pontos, que lhe valeram o sétimo lugar, penúltimo de apuramento.

"Ter, pela primeira vez, uma equipa nos Jogos Olímpicos já é um feito extraordinário. Estou muito contente com o meu desempenho no Grande Prémio e também com o do Equador. Estou feliz, foi um objetivo cumprido", afirmou João Torrão, o cavaleiro natural de Serpa, de 28 anos, contabilizou 70,186 pontos, terminando no quinto lugar do Grupo F.

"Acho que foi o maior estádio em que já competi, é uma experiência única. Poder estar aqui já é um feito incrível, por isso, estou muito orgulhoso. Já foi uma meta ultrapassada, acho que me deu muita experiência e agora é pensar nos próximos desafios", frisou João Miguel Torrão.

Na qualificação coletiva, Rodrigo Torres, em Fogoso, conseguiu também um lugar na final individual, que junta os dois primeiros de cada um dos seis grupos e os oito mais bem pontuados, depois de ter conquistado 72,624 pontos.
"Agora vamos desfrutar, fazer o melhor possível e tentar colocar Portugal no melhor lugar que conseguirmos", destacou o cavaleiro de Monforte, de 44 anos.

"Chegar à final por equipas era uma das nossas metas. Conseguimos, é um grande feito, uma grande alegria e uma grande honra. Estamos de parabéns, eu, o João e a Maria, porque correu bem e estivemos a um bom nível", finalizou Rodrigo Torres.

O pecúlio nacional foi completado por Maria Caetano, em Fenix de Tineo. A cavaleira de Monforte terminou no quarto lugar do Grupo B, com 70,311.

Fonte:O Jogo

Foto: Sapo desporto

O Coliseu de Redondo recebeu, ontem à noite, o concerto da dupla os "Anjos", composta pelos irmãos Nélson e Sérgio, que esgotou a lotação permitida para este tipo de iniciativas. Este, de uma sequência de três, foi o último dos concertos planeados, até à data no Coliseu, e fechou esta trilogia com chave de ouro. 

A Rádio Campanário esteve presente no concerto e falou com o presidente da Câmara Municipal de Redondo, António Recto que nos referiu que, o concerto “era aquilo que esperava, sala esgotada, a resiliência a funcionar com disciplina e com regras" destacando que " repito o que disse há um tempo atrás, temos que ser resilientes, temos que ser teimosos e temos que ir começando a desconfinar, senão qualquer dia estamos mais doentes do que a própria pandemia."

Questionado sobre se estavam calendarizados mais espetáculos idênticos, o presidente refere "é provável que ainda haja. Não está nada agendado neste momento, a não ser uma mostra de artesanato e das atividades económicas, na praça Central em frente à Câmara Municipal."

Esta iniciativa arranca já no próximo fim de semana e, segundo o presidente “todos os Fins de semana durante o mês de agosto, vamos ter cinco ou seis expositores com artesanato, com atividades económicas, e com vinho."

No entanto, ainda que sem haver espetáculos agendados, António Recto afirmou que " vamos animar também esse espaço".

Sobre o balanço desta iniciativa, o presidente conclui que "fiquei motivado, as coisas correram bem e eu acho que há que continuar."

Ocorreu ontem ao final da noite, uma colisão entre duas viaturas ligeiras passageiros que provocou sete feridos ligeiros na A26.

Os feridos são quatro adultos e três crianças. Dois adultos viajavam numa viatura, enquanto na outra viatura circulavam dois adultos e três crianças.

As viaturas circulavam no sentido Sines – Santiago do Cacém e por razões ainda não divulgadas colidiram junto da saída para a Refinaria de Sines.

O alerta foi dado cerca das 23 horas e nas operações de socorro estiveram meios e operacionais dos Bombeiros de Sines, Santo André e Santiago do Cacém.

A GNR esteve no local a ordenar o trânsito e tomou conta da ocorrência. 

Fonte : RádioSines

O Coliseu de Redondo recebeu, ontem à noite, o concerto da dupla os "Anjos", composta pelos irmão Nélson e Sérgio, que esgotou a lotação permitida para este tipo de iniciativas. Este, de uma sequência de três,  foi o último dos concertos planeados, até à data no Coliseu, e fechou esta trilogia com chave de ouro. 

Com uma lotação para apenas 500 pessoas, muitos dos fãs não conseguiram bilhete para assistir ao espetáculo. A fotoreportagem da Rádio Campanário, que esteve presente no concerto, vais permitir a estes fãns verem os melhores momentos do concerto, registados pela nossa lente.

Fique com a nossa fotoreportagem.

Deflagou ao início desta tarde, um incêndio de natureza agrícola, em Campo Maior, na freguesia de São João Baptista, na localidade de Quinta do Firmino.

De acordo com a informação avançada na página oficial da Proteção Civil, o alerta foi dado às 12h26.

Para o local foram mobilizados 31 operacionais, apoiados por 5 veículos e 1 meio aéreo.

O incêndio está em fase de resolução.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Julho 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31