07 Dez. 2021
Augusta Serrano
Notícias
17:00-19:30

Em nota de imprensa enviada à nossa redação, a Cãmara Municipal de Vila Viçosa informa que, devido a  uma rotura no sistema de distribuição de São Romão, o abastecimento de água está a ser assegurado pelos Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa.

O Município de Vila Viçosa está a providenciar todos os meios necessários para assegurar que a respetiva reparação seja processada no menor espaço de tempo possível.

A autarquia lamenta, desde já, todos os transtornos causados e apelamos à compreensão da população afetada.
 

O Comando Territorial de Portalegre, através do NPA do Destacamento Territorial de Ponte de Sôr, resgatou um canídeo que se encontrava em perigo de vida, por queda em ramal de esgoto com cerca de 2 metros de altura.

De acordo com a informação avançada na página oficial da GNR, um dos militares de imediato e sem hesitação, entrou pelo ramal conseguindo salvar o canídeo, tendo o mesmo recebido todos os cuidados necessários, encontrando-se já recuperado e entregue ao seu dono.

Veja as fotos:

 

 

.

Espera-se que as regiões do Algarve e do Alentejo sofram na segunda metade este século, “uma redução de 50% da água disponível”, de acordo com Nuno Lacasta, presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), citado pelo jornal Público.

Segundo a mesma publicação, este alerta foi deixado durante o Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento (Seneg), realizado em Vilamoura.

O responsável adiantou também que no próximo dia 7 de dezembro, em Lisboa, será apresentado “um estudo nacional sobre disponibilidade de água em cada bacia hidrográfica, com base no cenário das alterações climáticas”, sendo este “o primeiro instrumento operacional integrado da gestão da água”.

Também presente no encontro esteve a WWF Portugal que recordou que “nos últimos 50 anos, multiplicou-se por dez o consumo de água na região algarvia”, repleta por diversas assimetrias: um litoral com relvados e culturas intensivas e um interior cada vez mais árido.

Já o vice-presidente da Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, Gilberto Pereira, falou, segundo o jornal, sobre as dificuldades vividas nas plantações. “Plantar sobreiros é o mais fácil, difícil é criar as condições para que eles sobrevivam”, disse.

“A morte das árvores velhas até se pode considerar uma causa natural, mas o que nós observamos é que os sobreiros novos estão também a secar”, adianta ainda o responsável.

Uma das causas para este flagelo, segundo Gilberto Pereira, pode prender-se com os fogos e as alterações climáticas, que “poderão estar a contribuir para a morte acelerada do montado mas não explicam tudo o que se está a passar”, alerta.

O Destacamento Territorial de Moura, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA), no dia 03 de dezembro de 2021, procedeu à recolha de uma águia de asa redonda (Buteo buteo), que foi encontrada na área de intervenção do Posto Territorial de Serpa.

A referida ave encontrava-se bastante debilitada, não conseguindo voar, pelo que foi transportada e entregue no ICNF em Beja, e encaminhada para o RIAS em Olhão, a fim de ser recuperada e posteriormente libertada ao seu habitat natural.

O Grupo Nabeiro tem, desde setembro, um novo presidente executivo. Rui Nabeiro escolheu o neto para dar continuidade ao império criado em Campo Maior: um gestor que cresceu com o cheiro do café e lhe juntou um revestimento vencedor - as cápsulas.

Criada por Rui Nabeiro, o vasto império da Delta Cafés, é hoje indissociável do seu fundador, cujo AND se encontra em todos os detalhes: na missão, na visão e até na forma de tratar cada um dos trabalhadores. Hoje, o seu neto, aos comandos do Grupo Nabeiro, de quem herdou também o nome, Rui Miguel Nabeiro diz que “o que o distingue é a relação que tem com as pessoas. É um homem extremamente humano”, em entrevista à CNN.

Assim, segue as pisadas do avô, consciente de que o percurso do 'senhor comendador' não se pode replicar. Se hoje o Alentejo cheira a café, a ele se deve.

Passaram-se 60 anos desde que a Delta nasceu num pequeno armazém em Campo Maior e com este aniversário redondo veio também a passagem de testemunho, uma nova fase: a presidência executiva do Grupo Nabeiro deixa, pela primeira vez, as mãos do fundador. Mas, como esperado, a liderança mantém o apelido. É o neto quem, desde setembro, serve o império.

Sendo um negócio de família, é preciso provar ainda mais o seu valor, a cada dia, e que se merece o lugar. Pelo trabalho, não pelo sangue. “O meu avô e o meu pai sempre me foram metendo o bichinho de ir trabalhar com eles”, confessa Rui Miguel Nabeiro, que aceitou o destino, mas fez questão de percorrer os passos que se exigiriam a qualquer outro fora do clã.

Depois de estudar Gestão, e por conselho do avô, foi para o estrangeiro conhecer a fundo o negócio do café. Foram meses de aprendizagem em Espanha, Itália e Suíça. Grão por grão. Perceber os preços, as origens, o potencial da segunda mercadoria mais transacionada no mundo. Sempre com Campo Maior no horizonte.

Apesar disso, a porta de entrada na Delta acabaria por ser em Lisboa, a cidade natal. “Já nasci em Lisboa, apesar de ter as costelas todas alentejanas”. Há 17 anos, quando surgiu uma vaga na direção de marketing, não hesitou. Pediu ao avô que arriscasse nele. E assim o homem, que sempre sonhou ser piloto, levantou voo.

Atentou no mercado e descobriu a oportunidade que faltava na empresa: as cápsulas. Se os rivais apostavam no consumo de café em casa, a Delta não podia ficar para trás. O negócio nasceu em 2006 e, desde aí, apura-se e ganha importância a cada ano. A pandemia de Covid-19, por mais inesperada que fosse, só veio dar razão à aposta: o País, fechado em casa, aprendeu a tomar a bica no sofá.

No Grupo Nabeiro, que hoje tem operações em oito países, a adaptação é uma constante. Se o mundo precisa, procura-se solução. Com “inovação”, a palavra de ordem para Rui Miguel Nabeiro. Hoje com 42 anos, tem protagonizado alguns dos projetos mais marcantes da empresa: das cápsulas sem plástico à plantação de café nos Açores, sempre com o sorriso de quem degusta um futuro que se materializa.

O empresário sabe que, para dar passos certeiros, é preciso escutar quem o rodeia, cada um dos cerca de quatro mil trabalhadores. São a cafeína que dá a energia para cada novo dia. A começar pelo próprio avô: aos 90 anos, o comendador continuará presente, enquanto puder, a aconselhar como presidente do Conselho de Administração. Tal como a restante família, o 'blend' do equilíbrio num negócio que vale cerca de 400 milhões de euros.

Rui Miguel Nabeiro tem uma meta bem clara para o que aí vem: tornar a Delta numa das 10 maiores marcas de café do mundo. Mas sempre com um “cunho pessoal”. Porque cada café é único. Por dia, bebe seis. Sempre sem açúcar, tal como o avô. Quando se cresce numa casa como a Delta, há hábitos que não se conseguem evitar. Os três filhos logo o dirão.

A procura de “novas soluções para as indústrias ‘energívoras’ no contexto da transição energética” foi o centro da discussão no “Encontros na ZILS: Energia Sul”, realizado Centro de Negócios da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS) a 3 de dezembro de 2021.

O evento contou com as intervenções de Filipe Costa, CEO da aicep Global Parques e membro do Conselho de Administração da ADRAL; Eurico Brilhante Dias, Secretário de Estado da Internacionalização; Luís Delgado, Presidente da APQuímica e membro do Conselho de Administração da Bondalti; e João Galamba, Secretário de Estado Adjunto e da Energia. No painel empresarial participaram: Miguel Fonseca (EBM da EDP Comercial); João Conceição (COO da REN); José Pedro Salema (CEO da EDIA); Teresa Abecasis (COO Comercial da GALP); Marco Vantaggiato (EMEA Manufacturing Head da Indorama); e Pedro Aguiar (CEO da Prosolia Portugal).

Na sua intervenção, Filipe Costa descreveu que a aicep Global Parques promove a ZILS em torno de três verticais principais.

Primeiro, o “ZAL Sines - Zona de Atividades Logísticas”, de apoio aos Terminais Multiusos e de Contentores Porto de Sines, cuja capacidade de handling crescerá a prazo dos atuais 2 para 8 milhões de contentores / ano, investimentos que somados aos complementares nas acessibilidades rodoferroviárias apontam para um total de 2,5mM€, de investimento público e privado;

Depois, o “Sines Tech - Innovation & Data Center Hub”, que visa habilitar a infraestrutura da transição digital nacional ao acolher estações de amarração de cabos submarinos, como a EllaLink, e centros de dados, como o Start - Sines Transatlantic Renewable & Technology Campus. O conjunto de investimentos privados antecipados são 4mM€;

Por fim, o “Energia Sul” congrega as gerações e indústrias energéticas, refinadoras, petroquímicas e químicas em presença, expansão, transição energética e instalação, com foco nos gases renováveis, na descarbonização e na circularidade. Os projetos do “Sines Hydrogen Valley” que somam 5mM€.

 

O Comando Territorial de Beja deu as boas vindas aos Guardas Provisórios que entre dezembro de 2021 e fevereiro de 2022 irão que realizar a parte de Formação em Exercício do Curso de Formação de Guardas neste comando.

A Formação em Exercício tem como principal objetivo proporcionar aos Guardas Provisórios uma consolidação da formação técnico-profissional adquirida na frequência do respetivo curso, visando o desenvolvimento das competências em contexto real de trabalho, nas atividades dos Postos Territoriais, complementando a qualificação teórica adquirida e que promovendo uma maior articulação entre a saída do sistema de formação e a execução das futuras funções essenciais de um Posto Territorial, tendo em vista a sua inserção no quadro das novas responsabilidades e atribuições cometidas à categoria de Guardas.

Através de nota enviada à redação, o Município de Vila Viçosa informou que na próxima quarta-feira, dia 8 de dezembro, dia em que se comemoram as celebrações da Imaculada Conceição, o estacionamento de veículos na Rua Florbela Espanca e Av. Bento de Jesus Caraça está proibido.

Segundo informa a Autarquia, a proibição será entre as 9h e as 17h do dia 8 de dezembro.

No mesmo dia, o Município procederá também a uma homenagem à poetisa Florbela Espanca, cujo busto se encontra na Av. Bento de Jesus Caraça.

A região Alentejo, nas últimas 24 horas, foram registados 50 novos casos de covid-19 ,segundo a informação emitida no boletim diário da DGS. 

Nas últimas 24 horas  houve registo de  um óbito na região. Desde o início da pandemia morreram no Alentejo 1066 pessoas e 43.009 casos  de infeção.

 

Imagem do boletim da DGS

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais 14 mortes e 2.216 novos casos de covid-19, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 18.551 mortes e 1.169.003 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

O boletim da DGS revela que estão internados 948 doentes (mais 37 do que na véspera), dos quais 135 em unidades de cuidados intensivos (mais um do que ontem).

Os dados indicam ainda que mais 1.408 doentes foram dados como recuperados nas últimas 24 horas, fazendo subir para 1.088.295 o número total de recuperados .

As autoridades de saúde têm sob vigilância 77.283 contactos, mais 1.204 relativamente ao dia anterior.

 

 

Imagem do boletim da DGS

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31