16 Jun. 2021
Nuno Rocha
Ponto de Contacto
11:00-13:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Comentário Semanal do deputado João Oliveira, aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 02 Jun. 2021

Na Revista de Imprensa desta quarta-feira, 2 de junho, contámos com o comentário do deputado João Oliveira, do Partido Comunista Português (PCP).

Os assuntos abordados alguns temas que marcam a atualidade -  As normas que o governo está a preparar para o desconfinamento no nosso país tendo em conta os critérios de risco, os festejos dos adeptos do sporting, no seguimento de ter ganho o fnal da liga dos compeões, a previsão do aumento do PIB previsto para este e para o próximo ano, e ainda a greve dos trabalhadores da CP.

 

Sobre o primeiro tema, o deputado afirma que "Os especialistas tem adiantado um conjunto de elementos que eu acho que tem que ser ponderados. São os especialistas que estudam estas coisas, e que sabem como é que, do ponto de vista sanitário, como é que as coisas podem ser melhor controladas." afirmando ainda que "Não pode ser apenas uma lógica sanitarista a determinas as medidas que são tomadas, porque as melhores medidas, do ponto de vista sanitário, seriam medidas que, do ponto de vista social, económico, e até da sanidade mental, podiam ter consequências mais negativas.

Não podemos ter as pessoas todas fechadas, para combater a pandemia e depois ficarmos sem os serviços essenciais. A necessidade de equilíbrio dessas medidas parece-me absolutamente essencial."

Considera que "nos conselhos com menor população, é preciso que seja acompanhado das medidas necessárias para que a vida das populações, desse concelho, não seja transformada num inferno, em função dos critérios sanitários que são determinados. considerando importante "que os serviços de saúde sejam reforçados, no sentido de fazerem o acompanhamento necessário, para que se possam tomar, atempadamente, as medidas que sejam necessárias para evitar surtos".

Sobre os casos, de covid, que tem vindo a amentar esta semana, refere: "Uma das coisas que foram aprendidas nesta pandema é que os critérios de avaliação da situação epidemiológica e os critérios de desenvolvimento da epidemia tem que ser adequados, ao número de acontecimentos. O número de casos a aumentar já não é, por si só, o único critério que interessa.

Outro critério que tem que se ter em conta é o numero de pessoas já vacinadas,… o numero de infetados não era já o único critério a ser considerado. Se as pessoas mais debilitadas já estão vacinadas e nos internamentos, se há menos situações graves, em resultado dessas infeções, naturalmente a ponderação do numero de infetados por 100 mil habitantes.

Termina dizendo que é um caso que "Tem que ser avaliado com equilíbrio para que a resposta ao problema sanitário não se transforme num problema ainda maior"

 

Sobre os  festejos motivado pelas celebrações do jogo do Sporting, considera que é "É preciso que sejam criadas condições para que as coisas sejam feitas em segurança e sobretudo quem tem autoridade não se comporte como as avestruzes a meter a cabeça na areia.

"Eu acho que há um erro inicial que foi cometido, que foi alimentar-se a ilusão de que era preciso que as pessoas não viessem para a rua, que ficassem em casa. Partindo desse principio não se começou a fazer o caminho que era preciso se fazer, e o caminho era prever que as pessoas vao inevitavelmente a começar a sair à rua e portanto vamos la ver que medidas é que vamos meter em marcha para garantir que isso não se transforme num problema sanitário e garantir que tudo pode correr bem. Como o caminho foi feito ao contrário, deu o resultado que deu."

Continua referindo que, considera que as coisas poderão ter sido anunciadas um pouco desfazadas da verdadeira realidade:

"Eu também não sei até que ponto é que a ideia com que as pessoas ficam, corresponde à realidade vivida, não sei ate que ponto é que as imagens que foram selecionadas, não foram selecionadas para dar as pessoas a imagem de selvajaria, que não corresponde a tudo aquilo que se viu. Agora, tenho a certeza é que, seja em esptaculos de futebol, seja de teatro, concertos de música, festas populares, seja no que for, é preciso organizar as coisas em condições.

Tem que se fazer um esforço para criar todas as condições que permitam o regresso à normalidade."

Passando para o tema da previsão do aumento do PIB: "Nunca dou muito crédito a essas previsões… Eu tenho dúvidas que esses números se possam alcançar, é preciso que o governo tenha noção que é muito difícil que esses números sejam alcançados, sobretudo tendo em conta os três primeiros meses do ano. É preciso tomar medidas para garantir a dinâmica da atividade económica, a criação de emprego e proteçao dos postos de trabalho".

Termina falando sobre a greve dos trabalhadores da CP, referindo: "Espero que o governo tome boa nota dessas reivindicações, que perceba o carater absolutamente estratégico que tem a CP, do ponto de vista nacional, para o desenvolvimento económico. Espero que esta greve sirva para alertar o governo, que não há recuperação económica, se os trabalhadores não tiveres os seus salários melhorados."

Veja também...

Histórico de Notícias

« Junho 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30