23 maio 2022
Nuno Rocha
Ponto de Contacto
11:00-13:00

Comentário semanal do Eurodeputado Carlos Zorrinho, aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 04 Jan. 2022

Na revista de imprensa de hoje, dia 04 de janeiro, contámos com o habitual comentário do Eurodeputado do PS, Carlos Zorrinho. Foram abordados os temas: proposta de salário mínimo atingir os 900 euros; investimento na saúde e educação; balanço dos debates de António Costa, Rui Rio e André Ventura; abertura de escolas dia 10 de janeiro.

Relativamente à proposta de salário mínimo Carlos Zorrinho referiu que ”se o PS tiver uma maioria para governar poderá cumprir essa proposta como poderá cumprir outras propostas, aliás é o primeiro objetivo é essa síntese programática que foi ontem apresentada”.

O Eurodeputado acrescenta ainda “o esforço para aumentar uma nova politica de rendimentos que permita não só aumentar o salário mínimo, os 900 euros em 2026, como também fazer um aumento significativo do salário médio e enfrentar uma questão política muito importante, que é o facto dos jovens altamente qualificados que entram no mercado de trabalho têm o rendimento inferior àquele do nosso tempo quando entravamos no mercado de trabalho”.

Em relação ao investimento na saúde e educação, Carlos Zorrinho menciona que “quem ler o programa, estão claras as apostas de reforço no do Serviço Nacional de Saúde e também na educação. Olhar para aquilo que se fez nos últimos anos e resolver as desigualdades entre populações, entre estudantes e famílias com mais e menos capacidades”.

No que diz respeito ao balanço dos debates “se houver uma maioria à direita, obviamente que o Chega e o PSD se vão entender, mas será uma escolha de retrocesso aos primeiros cinco anos da década anterior, ao tempo da austeridade e outras políticas que conhecemos”.

Ainda sobre o mesmo tema, o Eurodeputado acrescenta “Por outro lado, há uma vontade do PS em continuar com estabilidade e fazer melhorias, ou optar por o retrocesso e acho que os debates já ajudaram a deixar isso claro”.

Relativamente ao discurso de André Ventura, Carlos Zorrinho comenta que “Penso que vai ser difícil que o Chega seja parte do governo como André Ventura tem vindo a exigir”, acrescentando “Ontem ficou claro, para bom entendedor que se houver uma maioria à direita o Chega participará de forma indireta”.

Por último, Carlos Zorrinho concluiu referindo que as tem havido uma pressão de manter as escolas abertas, pois torna-se importante para as crianças na socialização, no entanto, “tem de ser sempre ponderado os riscos”.

Veja também...

Histórico de Notícias

« Maio 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31