16 Jun. 2021
Nuno Rocha
Ponto de Contacto
11:00-13:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Alentejo

Comentário semanal do eurodeputado José Gusmão aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 04 Jun. 2021

Na revista de imprensa de hoje, dia 04 de junho, foram dois os temas abordados pelo eurodeputado José Gusmão, nomeadamente: o Reino unido ter retirar Portugal do corredor verde, com todas as consequências que tal decisão pode ter para o turismo em Portugal assim como a decisão do governo, tomada na última reunião do conselho de ministros, de manter a matriz de risco ainda que passando a diferenciar os territórios de baixa densidade.

No que diz respeito ao primeiro tema, o eurodeputado José Gusmão começou por referir “ eu penso que a decisão do Reino unido é mais uma decisão de consumo interno, ou seja, o governo de Boris Joghnson que no início ficou conhecido por negligenciar esta pandermia, agora esforça-se por mostrar serviço. Com medidas estapafúrdias.”

José Gusmão refere ainda que a “dimensão da variante indiana em Portugal é completamente irrisória , tratando-se exclusivamente de fazer algum bullyng sanitário para efeitos de consumo da política interna Britânica.”

O nosso comentador, sobre esta matéria, defendeu ainda que “ deviam existir regras que regulassem estas matérias pois isto está a contribuir para degradar as relações entre estados democráticos” sublinhando que “existe um problema mais de fundo, no qual tem insistido e que se prende com o fato de “não vale a pena pensar que vacinar a população europeia resolve o nosso problema o que não resolve 2 pois “tratando-se de uma pandemia, ou o resolvemos à escala global ou não o resolvemos.”

O facto de surgirem variantes que começam a resistir a algumas das vacinas que estão a ser utilizadas ou a todas só torna este fato mais evidente.” acrescentou.referindo também “ se continuarmos a ter a pandemia a medrar no mundo subdesenvolvido em geral, vão continuar a aparecer novas estirpes, novas variantes, algumas das quais serão resistentes às vacinas existentes.”

O nosso comentador não deixou de sublinhar ainda que “nos países onde está a ser negado o acesso às vacinas, estão a desenvolver-se estirpes que agora ameaçam a saúde pública no mundo desenvolvido.”

No que diz respeito às consequ~encias que esta decisão do Reino Unido pode ter no setor do turismo português, o Eurodeputado José Gusmão referiu “esperamos que à medida que o processo de vacinação avance, quer no reino unido, quer em Portugal, que possamos vir a ter uma evolução sensata nesta matéria antes do verão” ressalvando no entanto que esta questão deixa a descoberto o fato da economia portuguesa estar muito centrada neste setor realçando “o turismo é importante para a economia portuguesa mas nós temos que trabalhar para reindustrializar o país e diversificar a nossa atividade económica. Portugal não pode ser uma praia.”

No q ue diz respeito ao fato de o Governo ter decidido, em conselho de ministros, manter a matriz de risco diferenciando no entanto os territórios de baixa densidade, o Eurodeputado José Gusmão referiu “considero que a decisão do governo é uma boa decisão pois a matriz de risco original foi criada num contexto em que era absolutamente necessário travar o descontrolo em que a pandemia se encontrava.”

 


 


 


 

Veja também...

Histórico de Notícias

« Junho 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30