28 maio 2022
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
00:00-04:00

Alentejo

Comentário semanal do eurodeputado José Gusmão aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa 28 Jan. 2022

 

Na Revista de Imprensa desta sexta-feira, dia 28 de janeiro, contámos com o comentário do eurodeputado José Gusmão do Bloco de Esquerda.

Os temas abordados no dia de hoje foram: as eleições legislativas de 2022 e o resultado da última sondagem, recentemente divulgada e que coloca PS e PSD lado a lado com o terceiro lugar a ser disputado pela IL, BE e CHEGA; as expetativas relativamente à abstenção nas próximas eleições considerando a possibilidade de quem está em isolamento poder ir votar e ainda as previsões de que em Portugal o covid passe a ser gerido como a gripe.

No que diz respeito ao primeiro tema, o Eurodeputado do BE começou por referir " o resultado relevante das eleições será a maioria que se formará na Assembleia da República e que permitirá apoiar um governo" acrescentando que estas são umas eleições em que "existe uma clara separação esquerda-direita com exceção do PAN que se mostrou disponível para viabilizar um governo quer do PSD quer do PS."

O Eurodeputado reforça ainda que "tivemos nos últimos dias uma novidade no discurso do PSD que recuou nas suas afirmações anteriores onde tinha afirmado que não negociaria com o Chega."

Para José Gusmão "estas vão ser eleições esquerda-direita que se decidirão em função da mobilização das pessoas, ou seja, ganhará o campo político cujo eleitorado mais se mobilizar para votar." Sublinha ainda que " todos os deputados dos partidos contarão para formar uma maioria no Parlamento."

No que diz respeito ao segundo tema, a questão da abstenção e a possibilidade de quem está em isolamento poder ir votar, José Gusmão referiu "o que é possível passar neste momento é que votar é seguro pelo que as pessoas devem ir votar pois foram tomados um conjunto de medidas e, parece-me, que temos todas as condições para que as pessoas sintam que podem estar em segurança e isso é o mais importante."

No entanto, acrescenta, " isto não quer dizer que não haja efeitos na abstenção e que os mesmos não sejam assimétricos do ponto de vista político e por isso é tão importante que tenhamos uma forte participação eleitoral e que os resultados exprimam a preferência dos portugueses em relação ao que deve ser o próprio governo."

“É muito importante que as pessoas votem pois a manutenção de uma maioria de esquerda ou a sua alteração para uma maioria de direita e de extrema direita pode depender da participação das pessoas “ adiantou ainda José Gusmão.

José Gusmão conclui o tema referindo “foi a obsessão do PS por uma maioria absoluta que alimentou a direita nesta campanha eleitoral o que levou a uma mudança de estratégia de António Costa na última semana.”

Relativamente ao último tema, as alterações que estarão a ser preparadas para a primavera para vigiar a covid 19 da mesma que forma que é vigiada a gripe, o eurodeputado referiu “esta é uma decisão que tem que ser discutida pelos especialistas, mas parece-me consistente com o que já está a ser feito noutros países.”

“estando assegurada uma taxa muito alta de vacinação teremos que passar para uma nova fase que é a fase em que sabemos que a doença está aí, que ela se está a espalhar muito rapidamente e que as medidas de resposta, agora devem ser orientadas para proteger as pessoas mais vulneráveis” referiu por último.

 

 

 

 

Veja também...

Histórico de Notícias

« Maio 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31