24 Set. 2022
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
22:00-04:00

NUNO MELO

Comentário semanal do Eurodeputado Nuno Melo aos microfones da Rádio Campanário (c/som)

Revista de Imprensa Escrito por  07 Jul. 2022

Na Revista de Imprensa desta quinta-feira, dia 07 de junho, contámos com o comentário do Eurodeputado Nuno Melo, do CDS-PP. Foram abordados os temas: a Moção de Censura ao Governo apresentada pelo CHEGA, a crise governativa criada pelo Ministro Pedro Nuno Santos e a situação no aeroporto Humberto Delgado.

Sobre o primeiro tema, o Eurodeputado do CDS-PP, considera que esta Moção de Censura "foi um favor ao Dr. António Costa e ao PS por duas razões que explico com muita facilidade: cada Grupo Parlamentar pode, em cada Sessão Legislativa, apresentar uma Moção de Censura, mas há uma regra na Constituição que diz que, nos seis meses após a Posse de um Governo o Parlamento não pode ser dissolvido". Reconhecendo que o momento que o  Governo atravessa é frágil, motivado sobretudo pelo "incidente" entre o Ministro Pedro Nuno Santos e António Costa, Nuno Melo estranha o ´timing´escolhido pelo CHEGA para apresentar esta Moção, uma vez que se a mesma fosse aprovada o Governo não seria dissolvido. O Eurodeputado vai mais longe ainda ao afirmar que a Moção revela "uma vontade de proteger o PS na certeza de que se resultasse alguma coisa da Moção o PS não sairia beliscado" e acusa o CHEGA de não ter chamado a Direita para a discussão deste texto.

Quanto à questão relacionada com a crise aeroportuária em Portugal, o eurodeputado Nuno Melo afirma que "o que hoje está a acontecer no setor aeroportuário e o que está a acontecer com a TAP é um resultado direto das opções políticas do Dr. António Costa e do Partido Socialista". "A governar a TAP estão pessoas indicadas pelo Dr. António Costa e da confiança do Partido Socialista e a TAP é o descalabro que hoje se vê", atira.

Sobre o episódio com o Ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, o centrista considera que o mesmo "não seria possível num estado democrático consolidado e maduro como o nosso", reconhecendo que o Primeiro Ministro, António Costa, esteve "pessimamente, não podia estar pior" e considera que a não exoneração do Ministro por parte de António Costa só não aconteceu por este "ter tido receio da força do Ministro dentro do PS e dentro do próprio Grupo Parlamentar". Sobre a quezília interna do PS, Nuno Melo não tem duvidas ao afirmar que a mesma "está a custar caríssimo a Portugal num dos momentos mais difíceis da nossa vida porque nós percebemos o que se passa na saúde, na justiça, na educação, nas infraestruturas, do poder de compra, da inflação".

O último tema abordado pelo Eurodeputado Nuno Melo foi sobre o novo aeroporto. Sobre esta matéria, Nuno Melo começa por dizer que é "um dos defensores de Beja" porque "o Estado investiu milhões de euros de impostos dos contribuintes na modernização de uma infraestrura que está a curta distância, desde logo, da Capital". Ainda sobre a localização de Beja, o centrista afirma que se o mesmo fosse "bem servido de ligações, nomeadamente ferroviárias ou outras à Capital serviria muito e ajudaria neste desígnio que agora tem de ser tratado".

Veja também...

Histórico de Notícias

« Setembro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30