08 Mar. 2021
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
22:00-04:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Montemor o Novo

Os 10 jogadores com mais jogos pelo União de Montemor no Campeonato de Portugal

Os 10 jogadores com mais jogos pelo União de Montemor no Campeonato de Portugal Foto: O Blog do David
Desporto 13 Fev. 2021

Caso venham a regressar ao terceiro escalão após seis anos de ausência, os alvinegros vão regressar a uma prova na qual competiram por duas vezes, curiosamente nas duas primeiras edições da competição (2013-14 e 2014-15).Líder isolado da Divisão de Elite da AF Évora, ainda que com mais um jogo que o Estrela de Vendas Novas, o Grupo União Sport de Montemor está na pole position para assegurar o primeiro lugar no campeonato e consequente subida ao Campeonato de Portugal.

O emblema alentejano, que também participou por 20 vezes na II Divisão, sete na II Divisão B e 28 na III Divisão, procura regressar aos patamares nacionais

Em 64 jogos no Campeonato de Portugal, o União de Montemor somou 22 vitórias, 22 empates, 20 derrotas e um saldo de 90-79 em golos.

Ao longo dessas duas presenças, 39 futebolistas jogaram pela formação montemorense na competição. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

10. Cau (30 jogos)

Poucos meses após se mudar para o clube de Montemor-o-Novo apareceu nas páginas dos jornais nacionais pelas piores razões, uma vez que foi condenado pelo Tribunal de Setúbal a uma pena suspensa de cinco anos de prisão por alegadamente ter abusado sexualmente da filha em 2007, quando a criança tinha apenas três anos, e a uma indemnização de 30 mil euros à filha e de 15 mil euros à ex-mulher, tendo ainda ficado proibido de contactar com a menor. A condenação judicial levou também a direção do emblema alentejano a suspender o futebolista.Médio natural de Évora, teve diversas passagens pelos dois principais emblemas eborenses, Lusitano e Juventude, e jogou sete anos no Pinhalnovense antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2011, quando o emblema alvinegro militava na III Divisão.

No entanto, Cau sempre jurou inocência e expôs a sua versão dos acontecimentos aos companheiros, equipa técnica e direção, tendo a suspensão caído após uma petição subscrita por todos os jogadores do plantel. Mais tarde, o atleta resolver ir a um programa da TVI, apresentado por Fátima Lopes, e sujeitar-se ao teste do poligrafo, que lhe verificou a veracidade das respostas.

De suspenso e julgado na praça pública a ídolo em Montemor-o-Novo foi um piscar de olhos. Em 2013 ajudou a formação alentejana a alcançar o primeiro lugar na Série F da III Divisão e a consequente promoção ao recém-criado Campeonato Nacional de Seniores, patamar em que disputou 30 jogos (29 a titular) e apontou cinco golos, diante de Barreirense (dois), Almodôvar (dois) e Esperança de Lagos, ajudando os alvinegros a assegurar a permanência.

Na despedida do clube, em maio de 2014, foi alvo de homenagem. Na época seguinte, encerrou a carreira no Canaviais, da II Distrital da AF Évora.

9. Samiro (31 jogos)

Na única temporada que passou em Montemor-o-Novo disputou 31 jogos (24 a titular) no Campeonato de Portugal e apontou quatro golos, frente a Pinhalnovense (dois), 1º Dezembro e Cova da Piedade, insuficientes para evitar a despromoção.Defesa central cabo-verdiano de baixa estatura (1,79 m), mas desde 2008 radicado em Portugal, passou por Madalena, Juventude Évora e Mafra antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2014.

Após a descida de divisão permaneceu no Alentejo ao serviço do Juventude Évora, tendo ainda passado por Loures, Mineiro Aljustrelense, Eléctrico, Pêro Pinheiro e Peniche.

8. Filipe Brigues (31 jogos)

Lateral direito alentejano, natural de Alcácer do Sal, foi formado no Vitória de Setúbal e chegou a jogar pela equipa principal dos sadinos, tendo ainda passado por Santa Clara, Marítimo B e Farense antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2003.Disputou o mesmo número de jogos de Samiro, mas amealhou mais 457 minutos em campo – 2619 contra 2162.

Na única temporada em que jogou no Estádio 1º de Maio amealhou 31 encontros (todos como titular) e apontou três golos (dois ao Louletano e um Almodôvar), ajudando os alvinegros a assegurar a permanência.

Valorizado pela boa campanha em Montemor-o-Novo, deu o salto para a União de Leiria, que na altura perseguia o sonho de voltar à II Liga.

7. Ricardo Ramos (43 jogos)

Na primeira época em Montemor-o-Novo disputou 22 jogos (19 a titular) e marcou um golo ao Louletano, ajudando os alvinegros a assegurar a permanência.Defesa central natural de Vendas Novas e formado e revelado pelo Estrela, mudou-se para a União de Leiria em 2012 e um ano depois voltou ao futebol alentejano para reforçar o União de Montemor.

Já em 2014-15 participou em 21 encontros (19 a titular) e apontou dois golos, frente a Fabril e Cova da Piedade, insuficientes para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão mudou-se para o Juventude Évora e depois regressou ao Estrela Vendas Novas. Em 2020-21 está a representar o Cabrela, na Divisão de Honra da AF Évora.

6. Bruno Mendes (51 jogos)

Extremo irmão do antigo médio unionista Magalhães (2001-02 e 2006-07), nasceu em Vendas Novas e concluiu a formação e iniciou o seu percurso como sénior no Estrela local, tendo rumado para o vizinho União de Montemor no verão de 2012, depois de os estrelistas terem extinguido o futebol sénior.O melhor marcador de sempre do clube no Campeonato de Portugal, com 17 golos.

Na primeira época em Montemor-o-Novo contribuiu com uma dezena de golos para a obtenção do primeiro lugar e consequente promoção ao então designado por Campeonato Nacional de Seniores, patamar em que disputou 28 jogos (18 a titular) e apontou sete golos em 2013-14, ajudando os alvinegros a assegurar a permanência. QuarteirenseEsperança de LagosMouraCova da PiedadeLouletano (dois) e Almodôvar foram as vítimas de Bruno Mendes.

Na temporada seguinte atuou em 23 partidas (15 a titular) e faturou por dez vezes, frente a 1º Dezembro (dois), Fabril (dois), Casa PiaMalveira (três), Sacavenense e Cova da Piedade, mas não conseguiu evitar a despromoção.

Após a descida de divisão voltou ao Estrela Vendas Novas para ajudar o clube que o formou a reerguer-se.

5. Calú (52 jogos)

Embora fosse uma promessa da formação sadina, nunca se conseguiu impor na equipa principal, tendo passado por Machico e Mineiro Aljustrelense antes de se mudar para o União de Montemor no verão de 2011.Médio nascido em Setúbal, formado no Vitória e nove vezes internacional jovem pelas seleções nacionais, integrou o plantel que venceu a Taça de Portugal em 2004-05, ainda que não tivesse disputado qualquer jogo na competição.

Na segunda época no Estádio 1º Maio ajudou o clube a vencer a Série F da III Divião e lograr a promoção ao então designado por Campeonato Nacional de Seniores, patamar em que disputou em 29 jogos (todos como titular) em 2013-14, ajudando os alvinegros a assegurar a permanência.

Na temporada seguinte atuou em 23 partidas (22 a titular), não conseguindo evitar a despromoção.

Após a descida de divisão mudou-se para o Fabril, tendo em janeiro de 2018 regressado à cidade do Sado para representar o Comercio e Industria. Em 2020-21 está a jogar com a camisola do Alcacerense, na II Distrital da AF Setúbal.

4. Jair (54 jogos)

Em novembro de 2013 assinou pelo União de Montemor, depois de passagens por Mirandela e Sertanense, e foi a tempo de contribuir para a permanência da formação alentejana no então designado por Campeonato Nacional de Seniores ao disputar 28 jogos (16 a titular) e apontar dois golos, frente a Almodôvar e Quarteirense. Extremo formado no Galitos do Barreiro, evoluiu no Quintajense e no Estrela Vendas Novas até dar o salto para o Desp. Aves, mas a aventura não correu bem e por isso voltou às divisões inferiores.

Já em 2014-15 vestiu a camisola alvinegra do início ao fim da época, tendo atuado em 30 partidas (27 a titular) e marcado quatro golos, diante de Sintrense, Fabril (dois) e Malveira, insuficientes para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão rumou ao Fabril, prosseguindo a carreira nos distritais da AF Setúbal.

3. Bruno Gambóias (54 jogos)

Disputou o mesmo número de jogos de Jair, mas amealhou mais 480 minutos em campo – 4247 contra 2767.

Mais um jogador nascido em Setúbal e formado no Vitória, neste caso um lateral direito que passou por MontijoComércio e IndústriaO Elvas e Juventude Évora antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2011.

Na segunda época nos montemorenses sagrou-se campeão da Série F da III Divisão e alcançou a consequente promoção ao recém-criado Campeonato Nacional de Seniores, competição em que disputou 28 jogos (25 a titular) em 2013-14, ajudando os alvinegros a assegurar a permanência.

Na temporada seguinte foi utilizado em 26 partidas (24 a titular), mas foi impotente para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão regressou ao Comércio e Indústria, clube em que viria a encerrar a carreira em 2018, aos 33 anos.

2. Valdo (60 jogos)

Médio de características ofensivas que jogou na formação de Sporting e Vitória de Setúbal, passou por clubes como SesimbraJuventude Évora, Académico Viseu, Oriental e Estrela Vendas Novas antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2012.

Na primeira época com a camisola alvinegra sagrou-se campeão da Série F da III Divisão e logrou a promoção ao recém-criado Campeonato Nacional de Seniores, patamar em que em 2013-14 disputou 29 jogos (sempre a titular) e apontou três golos, frente a Moura (dois) e Almodôvar, ajudando a assegurar a permanência.

Na temporada seguinte atuou em 31 partidas (30 a titular) e marcou um golo ao Sacavenense, insuficiente para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão mudou-se para o recém-fundado FC Setúbal.

1. Monteiro (62 jogos)

Lateral esquerdo/médio de qualidade natural de Setúbal, jogou ao lado de José Semedo e Cristiano Ronaldo nas camadas jovens do Sporting, mas fez grande parte do seu percurso na formação Vitória de Setúbal, onde teve como companheiros de equipa Bruno Gambóias, Calú e Valdo, assim como os mais conceituados Paulo Ribeiro, Ricardo Batista e Márcio Madeira.

Enquanto sénior passou por SesimbraVitória de Setúbal B, Real SC e Pontassolense antes de reforçar o União de Montemor no verão de 2010, acabando por tornar-se numa das figuras da equipa, contribuindo para a obtenção do primeiro lugar na III Divisão – Série F e consequente promoção ao recém-criado Campeonato Nacional de Seniores em 2012-23.

Na temporada seguinte disputou 30 jogos (todos como titular) e apontou quatro golos, diante de Quarteirense (dois), Almodôvar e Moura, ajudando o conjunto alentejano a assegurar a permanência.

Já em 2014-15 foi totalista no Campeonato de Portugal, tendo atuado os 2880 minutos referente às 32 jornadas e marcado um golo ao Sintrense. No entanto, foi impotente para evitar a despromoção.

Após a descida de divisão ingressou nos distritais da AF Setúbal, tendo passado por Comércio e Indústria e O Grandolense antes de reforçar o Palmelense no início da presente temporada.

(Fonte: O Blog do David)

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Março 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31