25 Out. 2021
 

Evora

“A maioria dos casos ativos em Évora tem a ver com disseminação em seio familiar,onde as autoridades tem dificuldade em intervir” diz Presidente CM Évora(C/Som)

Entrevistas 15 Jan. 2021

O número de casos de covid 19 não pára de aumentar na região Alentejo e o concelho de Évora tem sido um dos mais afetados por esta pandemia.

Conforme informação avançada já no dia de hoje e referente ao dia 14 de janeiro, o concelho regista 1473 casos ativos e tem já a lamentar 29 óbitos.

A Rádio Campanário falou com Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora que começou por dizer que “estamos perante uma pandemia imprevisível e perante um vírus que ninguém conhecia pelo que estamos a aprender e não é fácil dar respostas.”

O Autarca refere ainda que, apesar do desconhecimento “ há lições que já se podem ir tirando “ acrescentando que " o aumento de casos em Portugal é o reflexo do Natal e da Passagem de Ano .”

Em relação ao confinamento que agora entrou em vigor no nosso país, Carlos Pinto de Sá referiu “temos no território situações muito diversas por isso o que é essencial e é o que tenho procurado transmitir, é que as medidas se adaptem a cada território no sentido de torná-las mais eficazes.”

No que diz respeito à situação particular do concelho de Évora, o presidente da autarquia refere “ a principal preocupação é travar as cadeias de transmissão e, neste momento, em Évora, a grande maioria dos casos ativos tem a ver com a disseminação em seio familiar, onde as autoridades têm muita dificuldade em intervir.”

Relativamente às medidas necessárias para combater estas cadeias de transmissão, o edil adianta “há necessidade de reforçar a saúde pública no sentido de poderem intervir tão rápido quanto possível quando é detetado um caso positivo e a necessidade de reforçar a área de saúde, em particular os cuidados primários e dos hospitais, no sentido d eprocurar dar uma resposta aos casos que aparecem, evitando o agravamento dos mesmos e que leva ao internamento e às unidades de cuidados intensivos.”

Carlos Pinto de Sá termina realçando o trabalho desenvolvido pelo Hospital de Évora sublinhando “ o empenho profundo com que o hospital e os seus profissionais o têm desenvolvido “ realçando ainda que o Município avançou com a criação de uma estrutura municipal de apoio ao hospital, com capacidade para 34 camas e que reúno todas as condições, tendo sido a mesma validada por uma equipa o Hospital de Évora, sendo os cuidados de saúde também prestados por uma equipa desta unidade hospitalar.

Por último, o autarca destaca que, quer o aumento dos números, quer mo confinamento que agora está em vigor, vão trazer agravamento da crise económica e social sendo por isso imprescindível “dar atenção às micro,pequenas e médias empresas que já estavam numa situação difícil e que agora se agrava “ acrescentando que “os apoios governamentais devem chegar o mais rápido possível” e que o Município preparou respostas para ajudar, do ponto de vista social, as familias mais carenciadas.

 

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31