×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
Imprimir esta página

Vendinha

Covid-19: "Detetámos hoje o primeiro caso positivo" no lar da Vendinha diz Tiago Abalroado (C/Som)

Entrevistas 30 Dez. 2020

Foi hoje detetado o primeiro caso positivo de Covid-19 na Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) da Vendinha, no concelho de Évora.

A RC este em entrevista com o Diretor da IPSS, Tiago Abalroado, que começou por assegurar que,"estávamos desde o início da pandemia com todos os cuidados normais deste cenário, com o reforço das medidas de proteção e segurança no lar. E conseguimos até ao momento que não se registasse nenhum caso no lar."

No entanto, a população da Vendinha conta com um surto ativo com elevada taxa de propagação. Segundo os dados apurados pela RC à data de 26 de dezembro, a localidade já registava 50 casos ativos. Perante este cenário, o Dr. Tiago revela que, "não conseguimos que o lar não contasse com um caso positivo."

O diretor confessa que ainda não se consegue identificar a origem da infeção, uma vez que as visitas estão suspensas, mas considera que poderá ter sido através de uma funcionária do lar.

A idosa infetada com o vírus Covid-19, “tem sintomas ligeiros” e, adianta Tiago que, “estamos em articulação com as Autoridades de Saúde Pública e a Segurança Social, para que tomemos noção da dimensão do surto, ou se é apenas um caso isolado. A partir daí podemos tomar todas as providências para maximizar a proteção e segurança dos utentes.

“Desde que detetamos os primeiros sintomas, a utente foi isolada, e desde então permanece em isolamento. O resultado do teste chegou hoje e agora vamos verificar, a partir das dimensões do surto, quais vão ser as orientações da Autoridade de Saúde sobre esta matéria,” adianta Tiago Abalroado.

Em relação aos testes de despiste aos outros utentes, “Solicitámos hoje após termos noção que estávamos perante uma situação Covid-19”, diz o diretor da IPSS. “Agora aguardamos o agendamento,” adianta.

Numa análise final, o Dr. Tiago diz que, ”não existem sintomas noutros utentes, o que não significa que não possam estar infetados.

 

(Audio em atualização)