Imprimir esta página

Estremoz

“Defenderei os interesses dos nossos agricultores do mundo rural e serei a sua porta voz “diz Sónia Ramos Deputada da AR(c/som)

Entrevistas Escrito por  29 Abr. 2022

A Deputada Sónia Ramos representa na Assembleia da República os Agricultores Alentejanos, uma das temáticas e componentes da FIAPE onde ontem marcou presença na cerimónia de inauguração.

A este propósito sublinhou “tive a felicidade e também fruto de trabalho político ser membro efetivo da comissão de agricultura no Parlamento assim como membro efetivo da comissão do ambiente e energia, duas áreas que não deixam de estar ligadas, até porque as florestas ainda não foram entregues em nenhuma destas comissões. “

Ainda assim, a Deputada garante “seja em qual for conseguirei com certeza defender os interesses dos nossos agricultores que costumam acumular a questão das florestas, com a agricultura, com a agropecuária e conseguirei ser, pelo menos essa é a minha vontade, a porta voz dos agricultores do nosso mundo rural, todo ele nas suas diversas vertentes e tradições.”

No que diz respeito às preocupações atuais dos agricultores, provenientes e em consequência da guerra da Ucrânia, a deputada da AR refere “a guerra na Ucrânia veio deixar a nu aquilo que os agricultores já sabiam e que é os apoios do estado à agricultura não são suficientes, nós não somos auto-suficientes numa série de bens essenciais, provando esta guerra que as reivindicações dos agricultores correspondem à verdade e eu julgo que os portugueses também ficaram despertos para esta triste realidade que é vermos o nosso dia a dia, as nossas matérias primas que precisamos para fazer agricultura, aumentar disparatadamente e naturalmente isso repercute-se cada vez que vamos ao supermercado e eu julgo que os portugueses estão muito atentos quanto a isso.”

A deputada acrescenta ainda que “das críticas que já fui ouvindo dos agricultores os apoios não são suficientes, a questão do IVA que parece à partida um apoio algo significativo acaba por não o ser, pelo menos para a nossa agricultura familiar, o custo do gasóleo agrícola, comparando com Espanha faz com que os nossos factores de produção sejam muitíssimo mais caros e portanto os agricultores têm razão para estar preocupados.”