×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64
Imprimir esta página

Beja

"Em Beja havia apenas dois ou três museus e o Castelo para visitar, mas este parque veio acrescentar motivos para sermos visitados" diz presidente da Freguesia de Beja (C/SOM)

Entrevistas 25 Jul. 2020

Foi inaugurado, esta sexta-feira, o Parque Fluvial de Cinco Reis, em Beja. Este projeto foi promovido pela Câmara Municipal de Beja, em articulação e parceria com a EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-Estruturas do Alqueva, e outras entidades, num investimento superior a 700 mil euros e que foi alvo de uma candidatura ao Programa Valorizar do Turismo de Portugal.

O Parque resulta do aproveitamento das águas da Barragem dos Cinco Réis, que recebe a água da albufeira de Alqueva, num protocolo de cedência com a EDIA.

O presidente da União de Freguesias de Beja- Santiago Maior e São João Batista, Jorge Parente, mostrou “muito orgulho” por esta nova infraestrutura ter sido construída na sua freguesia e destacou que foi uma ideia “sugerida pela EDIA, que depois foi abraçada pelo executivo da Câmara Municipal de Beja e pela União de Freguesias e que estará aberta ao público”.

O autarca admitiu que houve alguns constrangimentos na fase final da obra, porque “como é único espelho de água que está certificado ao nível da qualidade da água, as pessoas têm procurado a praia, mesmo sem ela estar ainda aberta, o que levou a alguns constrangimentos em conseguir conciliar a conclusão da obra com a frequência de algumas pessoas na praia”.

Para Jorge Parente, “é mais uma oferta turística que o Baixo Alentejo tem para oferecer” e enalteceu que o Parque Fluvial de Cinco Reis tem uma vantagem em relação a outras praias banhadas pelas águas do Alqueva, porque “mesmo que a água esteja em maré baixa, as pessoas ficam sempre em cima de areia, enquanto que em algumas praias do Alqueva, quando isso acontece, ficam em cima de terra e menos confortáveis”.

O presidente da União Freguesias de Beja frisou que o foco do seu executivo e também do executivo do Município Municipal tem sido “arranjar mais oferta turística”, porque “o Alentejo já tem a dinâmica que tem na agricultura, principalmente intensiva, mas temos pouca oferta na área do turismo”.

“A cidade de Beja tem o Castelo e dois ou três museus e depois as pessoas, às vezes para se deslocaram aqui não se justifica. Assim, se tiverem este complemento, poderão passar aqui o fim-de-semana ou mais uns dias”, referiu Jorge Parente.