×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64
Imprimir esta página

Evora

“O projeto da nova aeronave tem um financiamento inicial de 5ME. O Alentejo situa-se como uma das regiões do Mundo diferenciadoras na área da Aeronáutica", afirma Presidente da CCDRA (c/som)

Entrevistas 26 Set. 2020

O Programa ATL-100 promovido pelo CEiiA (Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto) e pela DESAER (Desenvolvimento Aeronáutico), vai centrar na cidade de Évora o desenvolvimento, fabrico e operação de uma nova aeronave ligeira, criando em cinco anos 1.200 postos de trabalho qualificados. O projeto foi apresentado na tarde de ontem, dia 25 de setembro, no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), em Évora, e contou com a presença da Ministra da Coesão Social, Ana Abrunhosa e do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

Em declarações à Rádio Campanário, Roberto Grilo, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), enaltece que foi “um dia importante para a região” e que “é a prova de que a operacionalização das estratégias se consume em projetos e este é um projeto de uma dimensão e visibilidade internacional e o Alentejo situa-se como uma das poucas regiões do Mundo com construtores na área da aeronáutica, com este nível de diferenciação”.

“Estamos a falar de um setor altamente especializado, com inovação e desenvolvimento tecnológico, que não é normalmente um traço comum em todas as regiões do Mundo. Estamos a falar de um setor de consolidação na região, através da aeronáutica, mas que envolve um conjunto de interações e um ecossistema em termos empresariais absolutamente incrível”, salientou Roberto Grilo.

O presidente da CCDRA referiu ainda que este projeto “foi candidatado e que teve financiamento no âmbito do ALENTEJO 2020 e que muito nos honra, porque volta a ser aquilo que marca a nossa diferença. A região consegue manter alguns níveis de identidade e uma excelência de qualidade ambiental, mas também consegue surpreender o Mundo inteiro com esta atração do cluster aeronáutico”.

“Estamos a falar de um investimento que envolve um raio de ação entre Évora, Beja e Ponte de Sor, onde vai desenvolver a sua atividade, envolve recursos altamente qualificados e vai, pela primeira vez, ter um construtor de um projeto de construção de uma aeronave desde o ponto zero até ao ponto final. Isto deve-nos encher de orgulho, pois é realmente a confirmação de que a região consegue competir, é inovadora e tivemos um trabalho incrível de acompanhamento para que este projeto ficasse sediado no Alentejo e hoje [sexta-feira] é a concretização e o “sim” à região”, sublinha Roberto Grilo.

O dirigente menciona ainda que nesta primeira fase do projeto “estamos a falar de uma candidatura superior cinco milhões de euros, com um financiamento de fundos FEDER na ordem dos 4.2 milhões de euros”.