22 Abr. 2021
Nuno Rocha
Ponto de Contacto
11:00-13:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

Evora

Vacinação: “Temos mais de 300 pessoas em lista de espera e o stock quando chega acaba em 2/3 dias” diz farmacêutica de Évora (c/som)

Vacinação: “Temos mais de 300 pessoas em lista de espera e o stock quando chega acaba em 2/3 dias” diz farmacêutica de Évora (c/som) Foto dir: Google Maps
Entrevistas 03 Nov. 2020

No passado dia 19 de outubro começou a campanha de vacinação nas farmácias portuguesas e que decorrerá até dia 31 de dezembro.

A decorrer já há 16 dias esta campanha, muitas são as farmácias que já não têm stock devido ao grande número de procura.

A RC entrevistou a Farmacêutica Maria Inês Villa-Lobos da Farmácia Diana, localizada na cidade de Évora.

Sobre esta campanha e a adesão dos utentes, explica que “está a ser muito boa porque a maior parte dos nossos utentes quer ser vacinado”. No entanto, tal como acontece em muitas farmácias no resto do país, também aqui o stock está esgotado.

A Farmacêutica explica à nossa emissora que “o número de vacinas que tem chegado é muito pequeno em relação à lista enorme de pessoas que estão em espera” e quando o stock é recarregado “desaparece em 2/3 dias”.

Nesta farmácia, até ao momento já “foram vacinadas à volta de 160 pessoas”, mas existem mais “de 300” em espera.

A Farmácia Diana fez o pedido de vacinas “muito antes da altura do inverno” e “consoante a média de pessoas que foram vacinadas no ano anterior”. Contudo, este ano devido à COVD-19, foram encomendadas mais vacinas, mas “não chegaram em número suficiente”. No total esta farmácia encomendou cerca de 500 vacinas, mas ainda não chegou todo o pedido.

A vacinação é feita “por ordem de chegada” e por marcação. Este ano devido à pandemia, houve pessoas que “deixaram o nome em julho”. Segundo a Farmacêutica Maria Inês Villa-Lobos, “houve uma corrida muito maior às vacinas” e as que chegaram “em outubro, chegaram em número baixo”.

Questionada se existe alguma contraindicação para quem já tinha tido COVID-19 e que vá ser vacinado, conta que não existe qualquer indicação sobre isso. Acrescenta que “as pessoas querem é vacinar-se antes de apanharem o COVID-19, porque com o COVID acabam por ficar mais recatadas e por já não sair, mesmo depois de apanharem e darem negativo, acabam por já não se vacinar”.

A campanha de vacinação nas farmácias tem de ser feita por recomendação médica.

Sobre a importância da vacinação contra a gripe o ano atípico que se vive, frisa que “a vacina pode ser importante na medida em que vai aumentar as nossas defesas, para que não surjam complicações maiores, para quando apanharmos o COVID, se for caso disso. Como sabemos, é um pouco incerto e é muito provável que a maior parte de nós venha a apanhar COVID, mesmo sendo assintomático. Mas estando vacinado o nosso sistema imunitário está mais reforçado e pode ser possível não apanhar pneumonias ou outras complicações a nível respiratório”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30