06 Dez. 2021
 
3 p’rás 5
15:00-17:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64

Igreja

16 anos sem João Paulo II. Conheça a história do crucifixo que o acompanhou na última Via-Sacra

Regional 02 Abr. 2021


 

Hoje, há exatamente 16 anos, o Papa São João Paulo II partiu para a Casa do Pai. Entre as muitas histórias e o legado de seus mais de 26 anos de pontificado, pouco se sabe sobre a cruz que ele segurou nas mãos durante sua última Via Sacra na Sexta-feira Santa, 25 de março de 2005.

São João Paulo II já estava em estado grave, mas não queria perder a Via Sacra na Sexta-Feira Santa. Ele não podia presidir, mas acompanhou o evento abraçando uma cruz que foi feita na Polônia, na cidade de Stefkowa, nas montanhas de Bieszczady.

A cruz está intimamente relacionada com a história de uma mulher, Janina Trafalska, que sofreu um grave acidente em 1990 quando tinha 29 anos, que afetou gravemente a sua coluna vertebral e teve de se submeter a um tratamento que durou vários meses.

Stanislaw Trafalski, marido de Janina, fez então uma peregrinação especial às montanhas Bieszczady para se unir espiritualmente a ela neste difícil momento. Janina sobreviveu mas só se locomovia em cadeira de rodas.

O site niedziela.pl informa que o crucifixo foi posteriormente dado ao sacerdote polonês Pe. Mokrzycki, quem em julho de 2007 foi nomeado Bispo. Em 29 de setembro do mesmo ano, recebeu a consagração episcopal como novo arcebispo coadjutor de Lviv, na Ucrânia. O novo Prelado levou consigo a cruz que entregara a São João Paulo II para sua última Via-Sacra. Ele a presenteou aos seus pais, que por sua vez o levaram de volta à Polônia, mais especificamente à cidade de Kraczkowa. Os pais de Dom Mokrzycki doaram o crucifixo ao pároco de Kraczkowa, Pe. Mieczysław Bizior, que por sua vez a colocou na igreja paroquial, que hoje se converteu um local de peregrinação.

Mais tarde, o prefeito de uma cidade próxima estava viajando com uma delegação a Roma e pediu a Stanislaw que fizesse algo para o Papa João Paulo II. Janina Trafalska decidiu então dar a sua própria cruz ao Papa.

Em 25 de março de 2005, quando o Santo Padre pediu uma cruz na Sexta-feira Santa para dirigir a 14ª estação da Via Crucis que acontecia no Coliseu Romano, um de seus secretários, o padre Mieczysław Mokrzycki, deu a cruz enviada por Janina.

A família Trafalski reconheceu imediatamente a cruz, ao ver pela televisão o evento.

O site niedziela.pl informa que o crucifixo foi posteriormente dado ao sacerdote polonês Pe. Mokrzycki, quem em julho de 2007 foi nomeado Bispo. Em 29 de setembro do mesmo ano, recebeu a consagração episcopal como novo arcebispo coadjutor de Lviv, na Ucrânia.

O novo Prelado levou consigo a cruz que entregara a São João Paulo II para sua última Via-Sacra. Ele a presenteou aos seus pais, que por sua vez o levaram de volta à Polônia, mais especificamente à cidade de Kraczkowa.

Os pais de Dom Mokrzycki doaram o crucifixo ao pároco de Kraczkowa, Pe. Mieczysław Bizior, que por sua vez o colocou na igreja paroquial, que se converteu em um local de peregrinação.

 

Fonte: AciDigital 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31