Imprimir esta página

Bencatel

Água em Bencatel: “prioridade é a ligação do bairro novo aos depósitos e substituir conduta principal”, diz Inácio Esperança (c/som)

Regional 18 Nov. 2021

Questionado sobre uma possível solução para os problemas de abastecimento de água no concelho, e em específico na Freguesia de Bencatel, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa diz que “é aquela que nós estamos a preconizar e dissemos aos munícipes que íamos efetuar: que é a substituição da rede em baixa”.

Inácio Esperança diz ainda que “como hão de calcular, a substituição da rede em baixa em Vila Viçosa e em todas as freguesias, porque ela está obsoleta e muito degradada é algo que importa em muitos milhões de euros, que nós estamos em condições de fazer

Então “já começámos a fazer projetos com empresas da especialidade, para começar a renovar as redes de águas, isto é, começámos a adjudicar a empresas que vão fazer esses projetos”.

Da mesma forma, “à medida que foram saindo avisos, porque temos informação que no próximo quadro comunitário, Portugal 2030, vai haver avisos para regeneração urbana e também para a questão das águas, à medida que forem surgindo esses avisos iremos candidatando os troços que forem possíveis”.

Na freguesia de Bencatel, “a prioridade vai ser a ligação do bairro novo diretamente aos depósitos”, explicou Inácio Esperança, dando como exemplo que “uma das falhas que houve ontem, foi de água na zona do loteamento Claudino Candeias”, pois ao terem ficado só com um depósito a funcionar “quando esse depósito baixa o nível não há pressão” para chegar ao bairro.

De seguida, o prioritário é substituir aquela conduta principal”, que “no anterior executivo já se começou a substituir do Alfaval para cima, porque havia roturas diárias”, então “vamos continuar a tentar renovar essa conduta principal para minimizar esse tipo de intervenções”. Porém “não é uma coisa que leve um dia ou dois, vai levar anos”, porque “reprogramar esta rede toda é uma obra que pode levar entre 10 a 15, se houver financiamento para ela”. Uma vez que, apenas com fundos municipais “é completamente impensável remodelar toda a rede”.