25 Jan. 2022
 
Rimas ao Sul
14:00-15:00

Sines

Alfândega apreende 453 aparelhos de ar condicionado no Porto de Sines

Regional 04 Dez. 2021

A Operação DEMETER VII, que fiscaliza o transporte ilegal de resíduos que não cumprem regras ambientais, decorreu entre 1 e 31 de outubro e fiscalizou substâncias que empobrecem a camada de ozono.

Com a participação de 87 administrações aduaneiras, aquela que foi a maior operação DEMETER até então, a DEMETER VII, que decorreu entre 1 e 31 de outubro, fiscalizou substâncias que empobrecem a camada de ozono (ODS — OzoneDepletting Substances, regulamentadas pelo Protocolo de Montreal), como os CFC (clorofluorcarbono) ou os HCFC (hidroclorofluorocarbonetos), que aumentam as quantidades de radiação ultravioleta que atingem a superfície da terra.

Os dados reportados em termos internacionais, divulgados na página de internet da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), indicam que as alfândegas controlaram remessas suspeitas e apreenderam resíduos ilegais e ODS, que resultaram num total de 107 apreensões, incluindo 3.851 toneladas de resíduos e 6.108 unidades, ao nível dos resíduos, e ainda 101 quilogramas (kg) e 493 unidades, quanto a substâncias controladas pelo Protocolo de Montreal.

A nível nacional, a participação da AT abrangeu o período entre 18 e 29 de outubro nas vertentes exportação e importação, na via marítima, sendo que dos controlos realizados pelas alfândegas participantes resultou a constatação de “diversas irregularidades” ao nível do não cumprimento da legislação específica dos resíduos, bem como ao nível dos gases fluorados, informa a nota da AT.


Dessas irregularidades detetadas em Portugal, a AT destaca a importação de 453 aparelhos de ar condicionado, via delegação aduaneira de Sines, sem ter sido previamente declarado que estes equipamentos se encontravam pré-carregados com gases fluorados.

Destaca também uma irregularidade detetada pela alfândega de Braga, numa tentativa de exportação de 25 mil quilos de resíduos de pneumáticos para um destino não autorizado a recebê-los (Tailândia) e incorretamente classificados, pelo que, não tendo sido cumpridos os requisitos para exportação, a mesma não foi concretizada.

Por fim, a AT salienta a deteção de duas irregularidades na alfândega de Braga correspondentes a duas exportações de resíduos de partes de motores, para a Índia (num total de 58.000 Kg), incorretamente declarados como resíduos de cobre, para as quais os respetivos contratos e, num dos casos, também a licença, inicialmente apresentados não abrangiam o tipo de resíduo constatado.

Fonte: Lusa

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31