24 Jan. 2022
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
22:00-04:00

Evora

“Escolhemos Évora porque queremos descentralizar e sensibilizar os territórios, temos que dar o exemplo”, diz Pres. da Ass. Nacional de Cuidadores Informais (c/som)

Regional 05 Nov. 2021

O Auditório do Palácio de Dom Manuel I, Évora, recebeu hoje, dia 5 de novembro, o 3º Encontro Nacional de Cuidadores Informais. O evento, organizado pela Associação Nacional de Cuidadores Informais, teve como público alvo: cuidadores informais e formais, profissionais, ministérios e representantes de diferentes entidades ao nível da Saúde, Autarquias, social ou cidadãos com interesse no tema.

O Estatuto do Cuidador Informal (ECI) foi um dos pontos altos da iniciativa, que contará com a presença do Presidente da República.

A rádio campanário marcou presença neste encontro e falou com a Presidente da Associação dos Cuidadores Informais, Liliana Gonçalves, que começou por nos referir “que a associação é de âmbito nacional e que este é o terceiro encontro realizado”

Questionada sobre o porquê da escolha de Évora adiantou “nós queremos descentralizar e sensibilizar os territórios porque a política de apoio ao cuidador informal pretende que seja descentralizada e, portanto, nós temos que dar esse exemplo.”

A escolha do Alentejo, e neste caso Évora é precisamente “para se poder chegar a outros territórios e contámos com o apoio do Município de Évora para toda a operação logística.”

Questionada se deste encontro tinha saído alguma ideia que possa ajudar a impulsionar as reivindicações por parte  dos cuidadores, a Presidente da associação referiu “nós ainda não temos a resposta por parte da regulamentação dos cuidadores a nível nacional” acrescentando no entanto que “a Secretária de estado da área social, Drª Rita Mendes, trouxe hoje aqui um conjunto de novas propostas que estão em cima da mesa e que o governo pretende implementar, pelo que esperamos que cheguem ao terreno e que não passem apenas neste período de maior agitação política, esperamos que não sejam apenas promessas.”

A responsável pela associação adiantou-nos ainda a existência de alguns critérios “o que permite que mais cuidadores possam ter acesso” lamentando, no entanto que “muito embora esta medida chegando em termos nacionais não chega a todos os cuidadores pois continuamos com muitos critérios de exclusão, quer da pessoa cuidada, quer do cuidador.”

Relativamente aos cuidadores existentes no distrito de Évora, Liliana Gonçalves refere “ não conseguimos falar em particular do distrito porque as estatísticas são a nível europeu apesar de se estimar que  a nível nacional existam 827 mil cuidadores informais” acrescentando no entanto que, de acordo com o estudo apresentado hoje pela Universidade de Évora, com dados preliminares e que vão no sentido de “fazer uma maior importância e um maior estudo sobre a realidade de Évora.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Janeiro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31