Imprimir esta página

Ferrovia - PNOP: "inclui eletrificação da linha ferroviária até à Funcheira"

Regional 08 Abr. 2021

O Ano Europeu das Ferrovias já começou, há duas semanas, nos outros países, com lançamentos dos planos ferroviários e no caso de Portugal o lançamento deverá acontecer ainda no decorrer deste mês. Florival Baiôa, do Beja Merece+, avançou à Voz da Planície que "o PNOP – Plano Nacional de Obras Públicas prevê a eletrificação da linha férrea até à Funcheira, assim como a possibilidade de ligação da mesma ao aeroporto de Beja”.

O Plano Ferroviário Nacional compreende “a eletrificação de toda a linha ferroviária, que ainda não está concluída” e traduzirá "aquela que é a rede ferroviária e a tipologia da rede ferroviária que se pretende para o pais", avançou o "Expresso", em março passado sobre esta matéria, citando o ministro das Infraestruturas. A “compra de material novo à espanhola Renfe (51 novas carruagens por 1,5 milhões de euros), bem como a reabertura de oficinas da CP” são outras perspetivas defendidas pela tutela, refere a mesma publicação.

Um dos pontos do Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030 prevê “a modernização das linhas ferroviárias de Beja e Faro, num projeto que ascenderá aos 230 milhões de euros”. Propõe, igualmente, “eletrificar todas as linhas de comboio do país até ao final da década” e de acordo com o plano de investimento, "todas as linhas para serviço de passageiros ficarão prontas para receber comboios elétricos até ao ano de 2025". Já no que se refere às mercadorias, "os trabalhos estarão concluídos até 2030”.

Florival Baiôa, do Beja Merece+, revelou o que está incluído no PNOP, referindo-se à ligação ferroviária até à Funcheira e a possibilidade da mesma passar também pelo aeroporto de Beja, e frisou que os estudos deverão “avançar ainda este ano, pelo menos é essa a perspetiva”.

Florival Baiôa recordou que o “Plano Europeu da Ferrovia contempla a eletrificação das linhas que fazem a ligação à Europa” e que “não fazia sentido o Sul de Portugal ficar excluído”. Lembrou, ainda, que “a ideia é atingir os objetivos estipulados para as questões do combate às alterações climáticas” e que “o comboio elétrico contribui, e muito, pois é dos meios de transporte menos poluentes”.

Sabe-se que a previsão é de que “a finalização do processo de eletrificação da rede ferroviária portuguesa será levada a cabo de Norte a Sul do país” e que “está dividida em três fases. Além da parte do orçamento para o Alentejo e Faro, a maior fatia será canalizada para a circulação de comboios elétricos entre Régua e Pocinho (linha do Douro), e Caldas da Rainha-Louriçal (linha do Oeste). Será ainda avaliada a eletrificação de toda a linha do Leste, que deverá ficar concluída até ao ano de 2030.”

In vozdaplanicie.pt