Estremoz

Museu Berardo em Estremoz recebe conferência "o azulejo na arquitetura, uma obra coletiva"

Regional 20 Out. 2021

O Museu Berardo Estremoz vai receber, no próximo dia 30 de outubro, pelas 15:00 horas, a conferência "O Azulejo na arquitetura, uma obra coletiva", do ciclo de conferências "Conhecer o Azulejo", com o orador António Celso Mangucci.
António Celso Mangucci nasceu em São Paulo e licenciou-se na Universidade de Campinas, em Antropologia.

Residente há muitos anos em Portugal, especializou-se na história da azulejaria portuguesa, com estudos monográficos dedicados à produção das olarias lisboetas (séculos XVI-XVIII), ao pintor de azulejo Valentim de Almeida (1692-1779) e ao mestre ladrilhador Bartolomeu Antunes (1688-1753). 

Colaborou com o Museu Nacional do Azulejo em diversas atividades, é investigador convidado do Centro de História da Arte e Investigação Artística (CHAIA) da Universidade de Évora e da Rede de Investigação em Azulejo da Universidade de Letras de Lisboa e como bolseiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia, concluiu o doutoramento em História da Arte pela Universidade de Évora, com uma tese dedicada ao estudo dos programas iconográficos da azulejaria dos colégios jesuítas.

De acordo com a informação avançada à Rádio campanário pela Autarquia estremocense, a conferência, que tem entrada gratuita, pretende sublinhar a importância de compreendermos a utilização do azulejo como parte integrante de um projeto decorativo para um determinado edifício, muitas vezes concebido em diálogo com as outras artes decorativas. Para a obtenção dos melhores resultados, houve a necessidade de congregar o contributo de arquitetos, iconógrafos, mestres ladrilhadores, oleiros e pintores. A forma encontrada para a reunião de todos esses colaboradores variou ao longo dos séculos e foi responsável pela grande diversidade de soluções que caracterizam a utilização do azulejo em Portugal.

Através do exemplo dos conjuntos do Colégio do Espírito Santo de Évora, da igreja da Nossa Senhora da Graça do Divor e da Misericórdia de Évora, será feita uma breve apresentação de como essas obras coletivas foram concebidas como obra de conjunto, valorizando o trabalho dos arquitetos e dos iconógrafos.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30