Alentejo

Plano Ferroviário Nacional contempla linha Évora-Elvas e corredor piloto em Sines!

Regional Escrito por  18 Nov. 2022

O Plano Ferroviário Nacional(PFN) foi apresentado recentemente e está agora em fase de discussão pública.

O PFN prevê "várias ligações a Espanha, a partir de todo o território" assim como prevê que o serviço de alta velocidade a servir 10 maiores cidades do país,

De acordo com o Plano em questão, para a Região Alentejo está contemplada a Nova Linha Évora – Elvas, atualmente em construção, é o primeiro troço de nova linha a ser construído em 25 anos e, com cerca de 80 km, o mais extenso em 100 anos. Trata-se da primeira infraestrutura ferroviária construída de raiz para cumprir o critério para ser considerada uma linha de alta velocidade (LAV), ter uma velocidade máxima de circulação igual ou superior a 250 km/h. Esta linha está a ser construída em via única em bitola ibérica (1668 mm), mas sobre uma plataforma para via dupla e com instalação de travessas polivalentes, de forma a facilitar uma futura migração para bitola padrão (1435 mm), quando for possível assegurar a continuidade em Espanha.

No doxumento pode ler-se que esta nova linha irá permitir a criação de um serviço Intercidades Lisboa –Elvas, prolongando os atuais serviços que terminam em Évora. O tempo de viagem previsto para esta fase é de cerca de 2h15 entre Lisboa Oriente e Elvas. Se for mantida a atual oferta de 5 comboios por dia por sentido, a região de Elvas ficará com um bom serviço ferroviário no acesso a Évora e a Lisboa. Com horários adequados, também os territórios que são servidos pelos comboios Regionais da Linha do Leste, incluindo cidades como Portalegre e Ponte de Sôr, passarão a ter neste itinerário o seu acesso privilegiado a Lisboa mediante transbordo em Elvas, cortando significativamente os tempos de viagem.

Neste plano está ainda contemplada a  construção da nova Linha Sines – Grândola permitirá aumentar a capacidade de transporte a partir do porto de Sines, criar uma redundância à atual Linha de Sines e evitar a pendente elevada que nela existe e limita o peso dos comboios. ação estratégica para mitigar disrupções nas cadeias de abastecimento que exportam pelo porto de Sines, e evitar a pendente elevada que nela existe e limita o peso dos comboios. A construção da nova Linha Sines-Grândola é estratégica para gerar redundância à ligação ferroviária ao porto de Sines.

O PFN contempla igualmente a reabertura da Linha do Alentejo entre Beja e Ourique No caso do Corredor Internacional Sul, com aumento de capacidade da Linha do Alentejo entre Poceirão e Bombel o ponto de estrangulamento do itinerário entre Sines e Elvas passará a ser o troço Vendas Novas – Casa Branca. Em resposta a este constrangimento, a reabertura do troço Beja – Ourique da Linha do Alentejo permite criar o itinerário alternativo que reforça a capacidade e dá redundância ao acesso ao porto de Sines. A reabertura desta linha pode ser considerada, em conjugação com o transporte passageiros, com a criação de condições operacionais adequadas aos comboios de mercadorias, seja em termos de comprimento de comboios, seja em termos de correção de pendentes.

 

Consulte o plano na íntegra AQUI

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Fevereiro 2023 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28