Imprimir esta página

Três sugestões de Enoturismo no Alentejo com várias experiências

Três sugestões de Enoturismo no Alentejo com várias experiências Portugal EasyCamp
Regional 10 Out. 2021

O enoturismo vem ganhando cada vez mais expressão em Portugal, sobretudo na região do Alentejo. Com os mais diversos e conceituados vinhos alentejanos assim como as experiências enólogas que as muitas adegas e herdades vitivinícolas proporcionam aos visitantes, ficam algumas sugestões de visita:

Na Herdade do Esporão, segundo o jornal innternacional globo, uma das maiores e mais famosas propriedades vinícolas do Alentejo, o chef Carlos Teixeira tem como objetivo reduzir o mais possível o desperdício. Quem for almoçar no restaurante da Herdade, em Reguengos de Monsaraz, vai encontrar nos diferentes pratos produtos das duas hortas que existem nos terrenos da herdade e do pomar com diversas árvores de fruto.
Na escolha dos produtos, o chef Carlos Teixeira elege  produtos sustentavéis e trabalha com fornecedores preocupados com a sustentabilidade, em que, entre outras coisas, não utilizam plástico nas entregas, optando por caixas que podem ser reutilizadas. Como exemplo, para o leite adquiriram uma leiteira em inox que lhes permite ir buscar o produto fresco. Entre os demais produtos utilizados, opta sempre pelos produzidos localmente. No que diz respeito às sobras, há várias estratégias de reaproveitamento, desde fazer caldos a picles, que permitem guardar legumes durante todo o ano. O objetivo é que um dia possa ter uma cozinha de desperdício zero.


Em Beja, a Santa Vitória, propriedade do grupo hoteleiro Vila Galé, com mais de 1600 hectares nas planícies alentejanas oferce várias atividades de enoturismo, a partir do seu hotel, como: passeios de jipe ou de charrete, tiro aos pratos, BTT, Moto 4, rapel, paintball, canoagem e viagens de balão de ar quente.


Na região da Comporta, junto a algumas das mais belas praias Alentejanas, a Breijinho da Costa colocou mais de 3 mil garrafas no fundo do mar, a diferentes profundidades. A novidade é que qualquer cliente pode mergulhar para ir buscar o seu próprio vinho. A Experiência Vinho do Atlântico é realizada na Ilha do Pessegueiro, e começa com um batismo de mergulho que, mais tarde, permitirá descer a uma profundidade entre oito e dez metros até às garrafas de vinho. Isso, é claro, sempre com o acompanhamento do instrutor.

“Trabalhamos com um biólogo marinho, que tem nos guiado, e testamos várias possibilidades, castas e tipos de vinho, para ver as diferenças”, explica o enólogo Luís Simões. “Todos os anos tiramos do mar pelo menos dois lotes de vinho.”

O Vinho do Atlântico dirige-se sobretudo à restauração, mas também está à venda num pack com duas garrafas, a do mar e a da adega (tanto do branco como do tinto), para permitir a comparação. E há mesmo diferenças. Mas, para perceber quais e o porquê, o melhor é provar.

Fonte Jornal o Globo.