28 maio 2022
Augusta Serrano;
Firmamento da Noite
00:00-04:00

Evora

YABURA a maior cidade no tempo dos mouros… é hoje Évora!! Conheça a sua história!

Regional 23 Jan. 2022

São muitos os testemunhos  deixados pelos povos oriundos do Norte de África e da Arábia na cidade de Évora, noutros tempos um importante pólo romano.

Durante esse período de domínio islâmico  era conhecida por Yabura e foi palco de muitos confrontos militares e de divergências políticas que provocaram, no século X, a sua destruição e posterior reconstrução, alcançando o lugar de segunda cidade mais importante do reino taifa com sede em Badajoz.

Em 714, em plena época da dominação muçulmana, a Évora visigoda foi tomada por Abd al-Aziz ibn Musa. Em 913, Ordonho II da Galiza cercou a cidade e, graças ao mau estado das muralhas romanas, tomou-a e massacrou a população.

Já em 914 a cidade foi repovoada com aliados do senhor de Badajoz da época, Abd Allâh ibn Marwân al-Jilliqî e a muralha da cidade foi reconstruída seguindo o traçado do muro romano da Antiguidade.

Sob os mouros, a cidade conheceu um novo período de esplendor económico e político, graças a sua localização privilegiada.

Esse desenvolvimento ocorreu especialmente nos século XI e XII e fontes cristãs de finais do século XII afirmam que Évora possuía dois alcáceres (castelos mouros), um “velho” e um “novo”. O alcácer “novo” foi construído possivelmente no século XII e, junto com a mesquita, localizava-se na área da acrópole romana.

Já no período muçulmano, Évora cresceu para fora das muralhas e já nos meados do século XII o Gharb Al-Andalus vivia tempos conturbados.

O Alentejo e a Extremadura Espanhola estavam no centro da disputa pelos territórios de fronteira, e neste contexto surge uma figura controversa e pouco conhecida, que foi determinante nos conflitos que ocorreram neste período, de nome Giraldo “o Sem Pavor”.

Geraldo Geraldes (século XII) foi uma personagem semilendária da história de Portugal à época das lutas da Reconquista. Tornou-se conhecida, já desde o século XII, pelo nome de Geraldo sem Pavor.

Personagem representativa do período de formação das fronteiras de Portugal, acredita-se que fosse um nobre de trato difícil, pelo que muito cedo abandonou o norte de Portugal para tentar a sorte no sul do país, nas lutas contra os mouros. 

Após a  conquista da região do Alentejo por D. Afonso Henriques e também da Estremadura espanhola, Geraldo Sem Pavor ofereceu-se como voluntário para tomar a cidade de Évora, bem como outras localidades vizinhas.

A Praça do Giraldo, praça central de Évora, nomeada em honra de Geraldo Figura central na iconografia da cidade de Évora, encontra-se representado em posição central no brasão de armas da municipalidade, montado a cavalo e empunhando a espada em riste.

Fonte /Fotos: Vortexmagazine

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Maio 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31