Imprimir esta página

Borba: Conheça os artistas que vão estar na Festa da Vinha e do Vinho, de 5 a 13 de novembro (c/som e fotos)

Reportagens Escrito por  12 Out. 2016

Virgem Suta, The Lucky Dukies, Átoa, Tais Quais e José Malhoa, são os artistas que subirão ao palco da edição de 2016 da Festa da Vinha e do Vinho em Borba, que decorrerá entre os dias 5 e 13 de novembro.

O evento foi apresentado em conferência de imprensa, esta terça-feira, dia 11 de outubro, na Adega Tradicional da Câmara de Borba, pelo presidente do Município de Borba, António Anselmo.

Assim no primeiro dia do evento, 5 de novembro, sobe ao palco os Virgem Suta, no dia seguinte The Lucky Duckies,, dia 11 de novembro, Átoa, dia 12, Tais Quais, e no último dia do evento, 13 de novembro, sobe ao palco José Malhoa.

António Anselmo começou por justificar a escolha do local para apresentar o evento, que este ano assinala 25 edições, a Adega Tradicional da Câmara de Borba, que simboliza um costume ancestral, o vinho de talha.

Salientou que a ideia do evento nasceu da vontade de Valentina Machado, “que em boa hora entendeu divulgar aquilo que de bom temos na nossa terra, a vinha e o vinho (…) que começou de uma forma muito insipiente e atingiu níveis muito altos, que depois começou a descair outra vez e, entretanto, vamos tentar evoluir no melhor sentido”.

António Anselmo diz que o que se pretende no fundo, é tentar evoluir e ao mesmo tempo juntar “vinha, vinho, gastronomia, doces, enchidos, azeites, e tudo o que há de bom no concelho de Borba”.

Questionado sobre os valores implícitos na edição deste ano, refere que ronda os 120 mil euros, no entanto a edição deste ano será um pouco diferente, já que o programa deste ano é mais ambicioso, “apostamos mais e vamos ter cartazes apelativos para vários tipos de idades”.

António Anselmo salienta que também este ano as entradas no recinto do evento não serão pagas nem nos espetáculos, porque “quando entrei em 2013 (…) cheguei à conclusão que ninguém devia pagar nada porque se a festa estava com tendência a morrer, mais depressa morria e felizmente tem funcionado bem e quem mais ganha com isso são os produtores de vinho que divulgam o vinho de boa qualidade que fazem, de Borba ou do Alentejo (…) em que os vinhos serão valorizados, a gastronomia continua a ser igual, quatro restaurantes de Borba, e a nível da doçaria abrimos o leque, mas sempre com pessoas de Borba, nos azeites temos a Cooperativa de Olivicultores e depois teremos uma serie de espetáculos intermédios para trazer pessoas à festa”.

Quando perguntado se considera que a Festa da Vinha e do Vinho recebe mais visitantes desde que as entradas deixaram de ser pagas, expressa que o pagamento de entradas “era uma condicionante e a estrutura de bilhetes pagos obriga a uma estrutura muito pesada em termos de pessoal, seguranças, e se calhar o que se ganhava não justificava e a festa paga afasta pessoas (…) e a ideia é haver muita gente para divulgar aquilo que de bom há em Borba”.