Dia Distrital do Bombeiro assinalado em Fronteira com a presença de Jorge Gomes, Secretário de Estado da Administração Interna (c/som e fotos)

Reportagens Escrito por  24 Out. 2016

No passado sábado dia 22 de Outubro, assinalou-se em Fronteira o Dia Distrital do Bombeiro. Uma iniciativa da Federação do Bombeiro do Distrito de Portalegre, da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fronteira e da Camara Municipal de Fronteira. A iniciativa teve como objectivo homenagear os bombeiros do distrito de Portalegre, que ao longo do ano dão muito de si a esta causa humanitária sem receber nada em troca e contou com a presença de Jorge Gomes, Secretário de Estado da administração Interna, entre outras individualidades.

 A comemoração iniciou-se pelas 9 horas com o hastear da bandeira, 10 horas recepção ao Sr. Secretário de Estado, 10h30 desfile apeado e motorizado seguido da Sessão Solene e entrega de condecorações, o ponto alto destas comemorações. Por volta das 12.30 horas teve lugar um almoço convívio e o dia terminou com a actuação da Banda Filarmónica dos Bombeiros de Sousel.   

Aos microfones da Rádio Campanário, Francisco Louro, Presidente da Federação de Bombeiros de Portalegre falou que a iniciativa vai no 4º ano consecutivo, começando por salientar toda a sua importância em prol dos bombeiros voluntários e das suas famílias, sublinhando todas as dificuldades que os mesmos atravessam no exercício das suas funções.

Questionado sobre o porquê das suas divergências com o Presidente Executivo da Liga de Bombeiros, no que refere ao Grupo de Trabalho aos Quadros Comunitários e ao financiamento das Corporações Francisco Louro referiu. "Em relação a esse grupo de trabalho a resposta foi dada pelo Sr. Secretário de Estado". Sendo essa divergência "apenas no debate de ideias. Anteriormente não havia candidaturas só depois da saída dos avisos é que nós nos podemos candidatar. O Anterior Governo "centralizou todo o processo e atrasou-nos dois anos de execução". Sendo a Federação "obrigada a pedir 500 mil euros à CGD. "Quanto à lei de financiamento "nasceu torta é isso que temos que dizer". Nós queríamos uma lei de base "mais justa e que desse alguma margem ao interior". Referindo que não concorda com uma taxa municipal porque isso agravaria a situação dos mais pobres. Terminando que no Distrito de Portalegre, não existe o sistema de amigos e compadrios referido pelo Comandante dos Bombeiros de Fronteira, durante a Sessão Solene.

João Ratinho, Comandante Associação Humanitária dos Bombeiros de Fronteira, acentuou que a homenagem "é uma Honra" e mostrou-se confiante no que toca ao avanço das obras de requalificação do Quartel de Fronteira, muito embora "não fosse claramente referido pelo Senhor Secretário de Estado". Serão obras de reaproveitamento com alguns espaços novos, ´´ nomeadamente uma camarata para as senhoras, uma sala de formação e a requalificação do telhado que ainda é em amianto".

Sobre as suas alusões a amigos e compadrios, durante Sessão Solene, o Comandante elucidou, quando se referiu nesse termos quis dizer que "em relação à formação" e estando mais afastados "dos polos principais "nem sempre conseguimos ter acesso à formação" e que há muita "dificuldade" em colocar "os nossos homens" nessa formação e que quem "tem lá amigos" tem mais facilidade. Embora Fronteira tenha uma unidade de formação e que as unidades locais de formação "tiveram o objectivo" de trazer essa formação ao interior, mas até ao momento "só lá se realizaram" os treinos da Unidade Distrital da Protecção Civil, da escola nacional de bombeiros "não houve nenhuma acção de formação que lá fosse ministrada".

Rogério Silva, Presidente da Camara Municipal de Fronteira, salientou que a candidatura às obras de requalificação é de Agosto de 2016 e que está confiante "nas palavras do Sr. Secretário de Estado, "Chegará o nosso tempo", para além das obras existe também a candidatura a um veículo táctico no combate aos incêndios, que é de "máxima importância". Ficando a aguardar que na próxima semana chegue uma resposta positiva. Terminando a dizer, ter sido "uma cerimónia positiva". Segundo o seu entender, foram criados os alicerces para que a iniciativa tenha continuidade ao nível de Municípios, Assim como, "com a presença dos Membros do Governo vão-se desenhando os cadernos de encargos para cada uma dessas cooperações. Sendo este ´"um momento único" para que os bombeiros apresentem todas as suas reivindicações "de forma directa e pessoal". 

O Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse aos nossos microfones ser "natural" que iniciativas desta natureza fomentem as reivindicações por partes dos intervenientes, e que "udo" o que as associações de bombeiros reivindicam, "está a ser tratado, está a ser negociado entre a Liga e o Governo" tendo-se vindo a "desenvolver um bom trabalho, que está a dar resultados". Já foram "recuperados alguns benefícios para os bombeiros que haviam sido perdidos" na legislatura anterior, contendo o Orçamento de Estado para 2017 um benefício fiscal, "só pagam 10% sobre os certificados que recebem". "O fundamental que sai daqui é o reconhecimento" dos bombeiros e quando existe esse "reconhecimento" é sinal de que nós queremos "apoiá-los".

Em relação à realização de obras no quartel dos Bombeiros de Fronteira, Jorge Gomes, sublinhou que tudo depende "das candidaturas" não tendo "duvida" do "mérito que a candidatura tem" e a necessidade existente, "e que virá a ser uma das candidaturas aprovadas".

Os meios aéreos também foram uma das preocupações apresentadas ao longo do dia, isto porque foram retirados de Ponte de Sor em consequência de uma intervenção no local onde estavam estacionados. Quanto a isso Jorge Gomes afirmou que o local em Ponte de Sor, "é a garagem desses meios aéreos e é para lá que vão". No seguimento da tomada de posse, hoje, dia 24 de Outubro, do novo Presidente da Autoridade da Protecção Civil. Uma outra reivindicação dos bombeiros foca a descentralização da formação necessária aos elementos das corporações, tendo Jorge Gomes acrescentado, ser uma decisão já tomada e que esta passará a ser dada "nos distritos e não em Sintra", aí só continuará a ser dada a formação especializada que carece de equipamento específicos "que não se podem transportar". Sendo essa uma decisão "irreversível". No que toca às Equipas de Intervenção Permanente, Jorge Gomes aludiu, estar decidido "e vai ser acordado em Concelho de Ministros" que será o interior do país "o primeiro a ser beneficiado dessas equipas". Passarão a existir protocolos entre o poder central e o local de modo a que sejam pagas por 50% de cada uma dessas entidades. "Vivemos num clima de paz entre o Governo e as Associações Humanitárias" tanto pela estima muito grande para com os bombeiros, como pelas dificuldades das corporações que tem que ser colmatadas.

 Terminando que, embora não haja até ao momento candidaturas aprovadas para requalificar alguns dos quarteis, já com projectos elaborados e que foram anulados, devido a alteações nos avisos. Tendo havido, "uma alteração de critérios" nos avisos aprovados pelo anterior governo", que eram três e que isso "a nós não nos interessa", foram alteradas as regras para que possam ser contempladas trinta, quarenta, candidaturas. Sendo evidente que com a alteração contemplada nas candidaturas anteriores, tenham sido obrigados a renovar essas candidaturas.

 

 

 

 

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31